Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

Por trás das câmeras – conheça um pouco mais do nosso trabalho!

Por: em 23 de maio de 2013

Por trás das câmeras – conheça um pouco mais do nosso trabalho!

Por: em

Escrever é, quase que por definição, uma grande válvula de escape. Nós, Apaixonados por Séries, após vermos um episódio, queremos compartilhar nossos sentimentos sobre o que vimos, além de discutir e refletir sobre o que se passou naqueles últimos 20 ou 40 minutos de episódio.

Outro dia, em uma review aqui do blog, certa leitora comentou que achava impressionante como conseguíamos captar tantas coisas que se passavam em um único episódio e traduzir isso na forma de um texto para repassar com vocês leitores – e isso realmente me intrigou. Realmente, depois de pronto, o trabalho parece relativamente simples, afinal não é nada além de um texto com fatos do episódio e suas opiniões em cima dele. Porém, tudo que acontece antes desse texto ficar pronto é um dos grandes charmes de tudo isso.

Então, para mostrar para vocês um pouco mais do que acontece antes dos textos serem publicados, convocamos alguns de nossos autores para falar um pouco mais desse processo criativo por trás de uma review. Será que eles anotam coisas durante os episódios? Será que eles vão fazendo o texto ao mesmo tempo que o episódio vai passando? Vamos descobrir um pouco mais sobre isso aqui!

 

Alexandre Borges

Autor na última temporada de: Game of Thrones e Grey’s Anatomy (dentre outros).

O meu processo de escrita começa antes do episódio ser exibido, fugindo de qualquer spoiler ou comentário sobre o mesmo. Geralmente, deixo de ler a timeline do twitter, tomo cuidado com o facebook e com qualquer site internacional de notícias até assistir ao dito cujo. Sempre procuro assistir no dia seguinte a exibição, mas é claro que nem sempre o tempo colabora, então às vezes acabo assistindo 2 dias depois. Quando finalmente sento diante do computador pra assistir, a primeira coisa que faço é abrir o word. No começo, fazia algumas anotações a mão, mas fui deixando isso de lado com o tempo.

Tenho o costume de ir pausando o episódio geralmente a cada 10 minutos e escrevendo os principais pontos do mesmo (em forma de tópico) no arquivo aberto, antes de voltar a assistir. Às vezes, quando o episódio já começa frenético, paro e escrevo até 1 ou 2 parágrafos antes de voltar a assistir. Indo nesse ritmo, levo geralmente cerca de 1 hora para assistir um episódio de 40 minutos (um pouco mais quando se trata de season’s finale, episódios chaves ou polêmicos).

Enquanto assisto, vou capturando algumas imagens que acho que possam ser usadas como print pra ilustrar o review. Quando acabo de assistir, passo para o arquivo no word e organizo todos os pontos que tenho numa ordem que acho que fará o texto fluir melhor. Então, geralmente sento e começo a escrever (no bloco de notas). Quando o episódio foi muito bom ou muito ruim, o texto flui melhor e em cerca de 1 hora, eu já terminei de escrever e estou revisando. Mas quando o episódio exige um pouco mais de reflexão (seja pelo tema ou por algum plot ou qualquer outro coisa) ou foi o tipo “comum” (nem muito bom, nem muito ruim, apenas ok), o texto custa um pouco mais a sair e geralmente paro no meio, relaxo e deixo para acabar horas depois ou então só no outro dia.

Com o texto pronto, seleciono as imagens que usarei (de modo a casar com o que está escrito) e levo mais uns 30 minutos revisando , arrumando fotos e formatando tags, categorias, links e outros detalhes “técnicos”.

escrevendo

Andrezza

Autora na última temporada de: Hart of Dixie e The Following (dentre outros).

O trabalho de escrever uma review começa logo antes de assistir o episódio. Ambiente tranquilo e olhos bem atentos. Às vezes, estou com lápis e papel na mão pra anotar alguns dos tópicos principais. No meu começo no blog, eu assistia pelo menos três vezes pra pegar tudo que eu gostaria. Depois percebi que se continuasse assim, o texto demoraria muito mais a sair, já que além de ser reviewer sou irmã, filha, amiga, namorada, profissional. E demoras irritam os leitores, nosso maior objetivo de escrever. Então eu percebi que a escrita rendia mais se eu começasse o texto logo após assistir, quando tava tudo bem fresco na minha cabeça. Claro que sempre vale rever as melhores partes. Incrível como um episódio bem feito desperta o melhor da minha capacidade de escrever e tudo flui mais naturalmente. Por outro lado, se o roteiro foi muito ruim, me sinto engasgada porque texto só negativo é bem tóxico. Nesse caso, procurar focar nos acertos e pegar mais leve com os erros da série. Na estrutura, gosto de pincelar algo sobre a audiência no começo e promo do próximo ao final. Entre os textos, procuro imagens que estejam relacionadas com a frase dita antes ou depois da foto. Além disso, tem a foto que fica destacada na página inicial do blog e não pode ser spoiler pra quem ainda não assistiu o episódio. Nunca leio sites nacionais antes de escrever meu texto, pra nem correr o risco de, sem querer, “copiar” uma ideia. Mas gosto de sites internacionais porque é sempre bom saber das opiniões de quem faz a audiência importante pro cancelamento ou renovação da série. Assim, algumas – pra não dizer muitas – horas depois, nasce uma review, toda feliz e sorridente esperando os comentários dos queridos leitores. E os especiais? Bem, aí o processo é mais longo… rs

 escrevendo

Bianca Hayashi

Autora na última temporada de: The Big Bang Theory, Revenge e Private Practice (dentre outros).

Mesmo depois de tanto tempo escrevendo reviews, ainda me pego subestimando o tempo e o trabalho que dá escrever um simples texto. Tudo começa com a boa vontade da minha internet de baixar rápido o release ou não. Depois, assisto ao episódio tentando prestar atenção aos detalhes. Antes eu assistia e deixava as anotações na minha cabeça, mas agora, adotei a técnica da Bruna de fazer anotações durante o episódio e, embora tenha facilitado muita coisa na hora de escrever, também demoro muito mais para terminar de ver. Então algo que tem 20 minutos, pode durar 40 facilmente. Pessoalmente, não gosto de escrever a review logo depois de assistir ao episódio, gosto de ruminar um pouco os assuntos, de repente mudar de ideia sobre alguma coisa.

Costumo escrever somente no dia seguinte, sem as emoções tão à tona. Não leio nenhuma review de outros sites sobre o episódio, para não influenciar o que estou pensando ou não, e tento fugir ao máximo de comentários dos amigos no Twitter e Facebook também. Na hora de botar a mão na massa mesmo, tem vezes que o texto flui lindamente (isso geralmente acontece quando o episódio é muito bom ou muito ruim) e termino de escrever antes de terminar a segunda vez em que assisto ao episódio. Mas quando não foi nem bom e nem ruim ou quando o assunto tratado no dia foi mais complexo, um trabalho que costuma demorar uma hora e meia para ser feito, pode levar duas ou mais. Tem vezes que não gosto muito do episódio, mas quando estou escrevendo, percebo que ele tem mais qualidades do que eu tinha achado na primeira vez e preciso mudar toda a argumentação.

Estruturo o texto de acordo com o que aconteceu na história, às vezes separando um personagem ou outro quando ele estava em uma trama paralela; acredito que assim fica mais fácil de seguir o raciocínio. Na escolha das imagens, costumo pegar as do site oficial porque a qualidade é mais alta do que os releases que eu baixo (não baixo em HD porque isso ocupa um espaço que eu não tenho disponível) e coloco as imagens dos personagens de acordo com o que está sendo dito no texto. Para o thumb, não tenho muita preferência; só tento não colocar nenhuma cena de spoiler e, se ele teve algum destaque no episódio, mas não coloquei a imagem no post, vai para o thumb. Isso tudo quando as coisas dão certo. Tem dias em que eu sei que preciso escrever a review, mas estou tão cansada que ela não sai de jeito nenhum, independente da qualidade do episódio. Nessas horas, vou dormir e no dia seguinte costumo estar bem mais disposta.

 escrevendo

Bruna Antunes

Autora na última temporada de: Girls e The Good Wife (dentre outros).

Saber gerenciar o próprio tempo é uma arte dominada por poucos. Eu, infelizmente, não faço parte desses privilegiados. Minha rotina pra escrever reviews já mudou bastante – também, com 3 anos de blog, se fosse a mesma seria de se espantar.

Ao assistir pela primeira vez ao episódio, tento ver com olhos menos críticos, só prestando atenção nas partes que me agradam. Na segunda vez que assisto, anoto tudo que merece ser destacado no caderno: plots, opiniões, atuação, roteiro, textos, enfim. Tento não pausar o episódio enquanto anoto, pra não perder mais tempo. Entre assistir a primeira vez e a segunda, fazendo notas, eu tento sempre buscar na internet as referências citadas no episódio que não me são familiares. Na época que fiz reviews de Supernatural eu precisava sempre pesquisar as divindades que eles tiravam da cartola, e eram muitas.

Por uma época – quando fazia reviews de Glee – eu lia as reviews de 2 blogs antes de escrever a minha. Não foi uma boa experiência, por  dois motivos: isso atrasava a minha review (o que enfurecia os leitores) e além disso, me desmotivava a falar bem das coisas que eu gostava no episódio e que os colegas reviewers tinham criticado. Em outra fase – quando fazia reviews de Sons of Anarchy – eu buscava conversar com as pessoas nas páginas dos episódios no orangotag. Era uma experiência boa por me deixar mais sossegada sobre o fato de nunca conseguir imaginar quais seriam os próximos atos de alguns personagens da série. Hoje em dia nem uso mais o orangotag. Acompanho o calendário dos episódios pelo Banco de Séries, e o pessoal por lá não comenta tanto quanto o pessoal do orangotag comentava.

Em geral eu gosto de conversar com alguém sobre episódios mais polêmicos – como o 2×05 de Girls -, mais pelo fato de precisar me sentir segura sobre a minha própria opinião. O mais difícil em ser reviewers é sempre precisar ter opinião sobre todos os episódios. E esse fator me fez ver com outros olhos, e até odiar, séries que antes eu amava.

Voltando a minha forma de fazer reviews, depois de assistir anotando eu junto minhas anotações em forma de texto. As vezes prefiro usar a cronologia do episódio, as vezes prefiro unir o conteúdo usando dos personagens envolvidos em cada plot. Depende muito da série e mais ainda do episódio em si pra que eu faça essa escolha. Escolho as imagens pelo site oficial da série, mais pela estética delas do que pelo texto. As vezes até escolho as imagens antes de fazer o texto, só pra entrar no clima do episódio. No fim, depois de fazer a parte burocrática (tags, categorias, links, negrito), percorro o texto fazendo leitura rápida só pra retirar as partes que são desnecessárias.

 escrevendo

Camila

Autora na última temporada de: Person of Interest e Mad Men (dentre outros).

O processo de escrever uma review no meu caso muda muito dependendo da série. Escrever reviews de um drama, como Mad Men, ou de uma série de ação como Person of Interest não tem nada a ver um com o outro, acho que até pelo modo como as séries são dirigidas e editadas. Com Mad Men consigo fazer uma review mais rápida. Logo após assistir ao episódio e ter tomado algumas notas enquanto assistia, sento para escrever a review. Primeiro estruturo o texto em tópicos que quero abordar, cenas emocionantes e perguntas que certamente ficaram martelando durante todo o episódio. A partir disso eu escrevo o texto e vou organizando os parágrafos, fazendo uma conexão entre eles. Mad Men a review parece que já está pronta, só preciso escrever. Quando o texto está pronto e nos rascunhos do blog eu vejo entre quais parágrafos colocarei uma imagem, quais personagens merecem estar. Então assisto ao episódio novamente em modo rápido para pegar printscreen e salvar. o mais difícil é escolher um thumbnail que não dê tanto spoiler mas que represente bem o episódio. As vezes com alguns episódios (como o 6×07) preciso assistir mais uma vez e tomar mais notas para poder escrever a review.

Já com Person of Interest não adianta muito tomar notas enquanto assisto, uma vez nunca é suficiente então só curto mesmo o episódio. Começo a escrever a review e passo o episódio uma segunda vez enquanto escrevo. Claro que o episódio termina antes da review, mas todos os pontos importantes já estão no texto, que está como uma colcha de retalhos ainda. Aí o trabalho é completar o texto e fazer com que um pensamento se conecte à outro e que não tenha mais perguntas do que análise de texto. Person of interest tem momentos engraçados e faço questão de colocar P.S.s no final das reviews. Com isso pronto vem novamente o trabalho árduo de escolher printscrens para ilustrar a review. Eu tento me basear também na posição que as imagens terão no texto e assisto o episódio novamente em modo rápido para escolher as melhores cenas, salvar as imagens e o thumbnail.

 escrevendo

Leandro Lemella

Autor na última temporada de: Arrow e The Vampire Diaries (dentre outros).

Não tem uma pessoa que passe a escrever e não subestime o tempo que isso tomara no seu dia. Vejam bem, escrever sempre foi uma das coisas que eu mais curti fazer, mas a partir do momento que terá uma outra pessoa lendo o que você escreve e/ou pensa, as coisas começam a tomar outras proporções. Durante esses três últimos anos que faço parte da equipe do Apaixonados, meu estilo de fazer uma review foi mudando bastante – acredito até que isso se deve pelo fato de com o tempo você começa a ganhar técnicas próprias e seguir menos a recomendação dos outros.

Hoje, tudo começa com assistir ao episódio, como um espectador qualquer – só que reparando atentamente em tudo que vai acontecendo, as principais ações, tramas novas, atitudes dos personagens. Enfim, nada que você, leitor, não faça enquanto assiste também. E diferentemente de alguns, eu prefiro escrever enquanto a emoção do episódio ainda está a flor da pele. Acho que é isso que convence no texto, você passar realmente tudo que está sentindo e não deixar ele mais imparcial, afinal uma review deve conter não só os principais atos de um episódio, mas também a opinião do autor sobre como as coisas se discorreram. Antigamente, eu seguia a ordem dos fatos no episódio, agora prefiro separar por blocos de personagens por achar que funciona melhor e torna o texto mais organizado – além de facilitar na hora de pegar as fotos. Nisso sai o primeiro rascunho. Ele eu releio pelo menos duas vezes para identificar erros ou coisas que podem estar faltando. Depois do texto pronto, começa a formatação que é uma das partes mais “burocráticas” na hora da postagem, porém extremamente necessária para manter o padrão visual do blog. Até aqui, tirando o tempo de assistir ao episódio, foram, no mínimo, uns 50 minutos.

A seleção das fotos sempre fora algo bem traumático para mim porque fico muito na dúvida sobre quais colocar ou não – passei então a adotar um padrão: momentos que acho sensacional no episódio. Caso isso não se encaixe com o texto, procuro momentos  do personagem que está mais próximo de onde vou inserir a foto.  Agora a parte mais difícil ainda é escolher o thumb – imagem de exibição na página inicial -, esse sim eu demoro pelo menos uns 10 minutos até ficar satisfeito com a minha escolha. Assim, dá para notar que, além de 40 minutos de episódio, vai mais de uma hora brincando para conseguir escrever, revisar, formatar, inserir fotos e postar. Mas, com certeza, é um trabalho que vale completamente a pena quando recebemos comentários e podemos interagir com vocês!

 escrevendo

Micael Auler

Autor na última temporada de: Glee The Big C (dentre outros).

Escrever uma review, apesar de prazeroso, não é tão fácil como muita gente pensa. Eu mesmo, antes de entrar para o time de colaboradores do site, imaginava que seria um pouco mais tranquilo, apesar de já imaginar que teria que abdicar de um tempo precioso do meu dia para escrever a review. Como vocês podem muito bem perceber, aqui no Apaixonados por Séries prezamos por posts de bom conteúdo, antes de mais nada, mas geralmente nossas reviews tem várias imagens, links, vídeos e tudo mais que consideramos que você, leitor, vai gostar.

Particularmente, sigo quase sempre o mesmo ritual para escrever uma review. Assisto o episódio e anoto os principais pontos, depois procuro o quanto antes transformar em texto minhas anotações e principalmente sentimentos que senti durante o episódio. Essa parte de, literalmente, escrever a review em algumas vezes é rápida (geralmente quando o episódio é bom o texto flui facilmente) ou, em alguns casos (quando o episódio não é exatamente tão bom), o texto demora um pouco mais para sair. Já aconteceu de eu ter que parar e retomar em outro momento para conseguir terminar a review, acredite. Mas essa parte, ao menos para mim, não é a mais complicada.

Depois do texto pronto, parto em uma jornada tempestuosa em busca de imagens para ilustrar minha review. Dois requisitos são importantes: qualidade e adequação com o texto. O problema é que nem sempre as imagens disponibilizadas pelas emissoras se encaixam na review, e quase nunca um print tem a mesma qualidade que uma imagem promocional. Terminada essa parte das imagens, vou aos preparativos finais: linkar o texto com outros possíveis posts do blog, ou mesmo links do imdb e outros; acrescentar algum vídeo interessante, geralmente a promo do próximo episódio e revisar, e revisar e depois de mais uma revisada, finalmente postar.

Apesar disso, todo o esforço é recompensado, de verdade, quando recebo um email avisando que um leitor comentou na review.

E aí? Era como vocês acharam que acontecia? Muito diferente? Compartilhem um pouco do que vocês pensavam com a gente!


Leandro Lemella

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos mal compreendidos.

Santos/SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

×