Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

Glee – 3×17 Dance With Somebody

Por: em 26 de abril de 2012

Glee – 3×17 Dance With Somebody

Por: em

Tobias:

Um belo tributo à Whitney Houston.

Apesar de algumas coisas terem me incomodado muito, no geral fui surpreendido positivamente. Depois de terem se passado dois meses da morte da cantora, Glee usou-se de uma desculpa pouco plausível para prestar-lhe homenagem. Os garotos do coral a tinham como grande inspiração e não conseguiram, mesmo depois desse tempo, se despedir e superar? Oi? Mas esse detalheetalhe esse que pode ser facilmente ignorado.

Gostei muito de termos Emma e Will novamente em destaque, agora com os preparativos para o casamento. Primeiro que só de darem mais tempo em cena para a Emma eu já ficaria muito feliz, mas não bastasse isso, ela ainda foi incrível. É uma das poucas personagens que não sofreu nenhuma mudança abrupta de personalidade durante o decorrer da série. Um sorriso me veio ao rosto quando ela disse que se ele estava preparando uma apresentação com música da Rihanna em uma piscina, ela queria tirar fotos dessa vez. A preocupação do professor com o inevitável afastamento das suas “crianças” também soou bastante verdadeiro.

Nessa volatilidade de emoções, Santana vem enfrentando alguns problemas. Com grande destaque até pouco tempo atrás, a personagem com algumas atitudes que soam forçadas. Por vezes ela se preocupa com sua educação, em outros momentos diz que só o que importa é a fama. Não chega a ser uma descaracterização, como a que aconteceu com a Rachel, mas está começando a me incomodar. Algo que vem sendo abordado da melhor maneira possível é a sua relação com Brittany, há tempos elas não apresentavam tamanha sintonia. Os produtores definitivamente acertaram a mão, mesclando o lado cômico com um lado romântico sem exageros.

 

Tive que morder a minha língua com a relação entre Kurt e Blaine nesse episódio. Como vocês bem sabem, não sou dos maiores fãs do “rouxinol”, e durante boa parte do tempo fiquei torcendo para que o Kurt se jogasse numa nova relação com o Chandler. Sim, eu torci, afinal, Blaine vem mesmo deixando sua relação de lado. Mas ao final, a declaração foi tão bonita, tão sincera que, pela primeira vez, eu tive a certeza de que queria os dois juntos. Karofsky que me perdoe, mas os dois foram na medida. Se o romance dos dois sempre foi permeado por muito exagero e futilidades, dessa vez a simplicidade foi tanta que soou verdadeira. Nunca tinha parado para pensar que, com a ida de Kurt para Nova York, Blaine ficaria só. Nunca me importei, até agora. Se pensarmos, é um plot que tem bastante potencial.

Algo que eu definitivamente não curti foi esse romance entre Quinn e Joe. Primeiro que os dois não combinam, segundo que parece que isso foi só para dar uma trama pro Samuel, para ele deixar de ser tão avulso. Por sinal, parece que o momento “melhor dia da minha vida” passou bem rápido pra loira, e agora ela já não está mais tão confiante, como era de se esperar.

Com apenas 42 dias restantes até a formatura, o clima de despedida já ficou evidente. Puck destacando o bromance entre os rapazes do coral foi outro destaque. Do jeito Puck-de-ser, foi sincero. Rachel e Santana agora deram uma trégua e vão aproveitar o tempo restante como amigas. Vamos ver se isso vai mesmo funcionar.

Rory está completamente sumido, não? Será que eles estão com uma política de não deixá-lo em cena com o Samuel? Sugar, cadê a minha alegria que não deu mais as caras? E Tina e Mike? Figuração manda lembranças.

Na próxima semana temos as audições para as faculdades, e a participação de ninguém mais, ninguém menos que Whoopi Goldberg (!) Eu é que não sou louco de perder. Até lá.

 

Luana:

Ryan Murphy ainda não entendeu que exagerar nas coisas, por melhor que elas sejam, faz com que o brilho seja perdido. Estou falando especificamente de Santana neste episódio. Na terceira canção em que ela participou eu quase já não consegui mais prestar atenção, por melhor que fosse a interpretação. Mas enfim. Falando do episódio tributo como um todo, acho que foi um belo acerto desta vez. Praticamente todas as canções me chamaram a atenção, foram bem pensadas, bem encaixadas no roteiro, bem arranjadas e bem interpretadas.

A começar por How Will I Know, que assim que começou o episódio fez com que eu me arrepiasse completamente. Uma coisa que vemos pouco em Glee são canções interpretadas completamente a capella. Acho que porque esse tipo de arranjo exige um pouco mais de atenção pra cada uma das vozes envolvidas e o seriado tem tempo curto pra tanta produção musical. Eu amo a capella, e acho que o arranjo aqui foi extremamente de bom gosto, combinou demais com as quatro “divas” do grupo: Mercedes, Santana, Kurt e Rachel.

I Wanna Dance with Somebody (Who Loves Me), quando começou a ser cantada por Brittany, me causou um pouco de estranheza, parecia que ela estava agitada demais pra música que estava interpretando. Mas aí, quando Santana, as Cheerios e os figurinos entraram na performance, meu sentimento mudou completamente, me peguei dançando e cantando junto e até voltei pra assistir várias vezes. Saving All My Love for You foi uma daquelas canções que acabou não me chamando tanto a atenção no episódio, mas acho que foi por conta do plot envolvido que não me agradou nem um pouco. Então do nada Joe e Quinn vão se apaixonar? Não sei, não me convenceu.

So Emotional, novamente com Santana e desta vez com Rachel, é a música que comentei no meu primeiro parágrafo. Acho a latina do grupo uma ótima cantora e dançarina, mas quando você abusa disso algo acaba perdendo seu brilho. Nesta semana, essa foi a música que acabou sofrendo as consequências, ao meu ver. Simplesmente não me prendeu. It’s Not Right but It’s Okay trouxe de volta o Blaine que eu sempre gostei de ver, e aqui a minha teoria se confirma: a performance ficou tão bem trabalhada, tão bem encaixada no roteiro e tão bem interpretada pelo namorado que se sentia traído que, se tivessem dado mais um solo pra Blaine esta semana, esta outra música teria perdido seu brilho, com certeza.

Uma coisa que fazia tempo que não ouvíamos em Glee era Kurt cantando na região mais aguda, e deu pra matar a saudade com I Have Nothing. Músicas mais sofridas sempre combinam com ele. Pra encerrar o episódio, numa cena linda, My Love Is Your Love interpretada por todo o New Directions, fazendo Will dar aquela choradinha. Um pequeno comentário de fã rejeitada aqui: porque mostraram todas as duplas entrando bem de perto, enquanto que, quando Mike e Tina entraram, a gente praticamente não se deu conta, já que foi num cantinho da tela? Pelo menos esta trouxe um pouco mais de Artie, uma das melhores vozes do grupo na minha opinião.

 

—-

3×18 ” Choke”


Tobias Romanzini

Porto Alegre - RS

Série Favorita: Grey's Anatomy

Não assiste de jeito nenhum: Fringe e séries policiais

×