Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

Supernatural – 7×23 Survival of Fittest (Season Finale)

Por: em 19 de maio de 2012

Supernatural – 7×23 Survival of Fittest (Season Finale)

Por: em

Survival of Fittest foi o perfeito retrato de sua temporada e eu falo isso no sentido ruim da palavra. Chato, desempolgante, comum e que em momento algum pareceu digno de season finale. Até uma temporada instável como essa, merecia um finale melhor. A bem da verdade, é que não foi um ano tão desastroso como o passado – o que não quer dizer que tenha sido bom. A trama central foi provavelmente a mais fraca da história do seriado e o que a salvou de ser um completo desastre foram alguns fillers bem bacanas e umas histórias paralelas interessantes.

Nem mesmo o Cas, que eu tanto adoro, conseguiu fazer com que eu me empolgasse com o episódio. Admito que já fui assisti-lo sem expectativa alguma, mas assim que ouvi Carry On my Wayward Son, tive uma pontinha de esperança de não me decepcionar como aconteceu com as 2 últimas finales. Ouvir essa música do Kansas hoje não me causa mais as mesmas emoções de 3 anos atrás. Antes, eu já ficava ansioso. Agora, eu fico com um gosto amargo na boca.

Mas, parando pra pensar, não havia muito o que se fazer. A trama dos Leviatãs nunca engrenou e esperar que na finale ela se mostrasse interessante demandava uma ingenuidade que eu nem sabia que eu tinha. Apesar de tudo, não foi tão ruim quanto a do ano passado – pelo menos aqui não tive que ver Jared Padalecki atuando com ele mesmo. O principal problema foi mesmo a história fraca, aliada a um personagem tão fraco quanto o Dick Roman.

Funcionou, mas eu ainda acho que acreditar que era o sangue do Crowley naquele frasco foi um dos erros mais estúpidos que os Winchester cometeram. Ninguém pensou em exigir que ele tirasse ali, na hora? Ok que dificilmente ele faria isso, mas Sam e Dean aceitaram tudo muito fácil e traiçoeiro do jeito que o Crowley é, eu esperei por uma traição. Que bom que não veio, assim conseguiram finalmente matar o Roman e parar com esse plot de “vamos devorar os humanos.”

A minha pergunta é: E os outros Leviatãs? Como ficam? Vão sumir agora que o Dick foi morto? Ou precisam ser destruídos um a um? Eu preferia que tivessem feito isso logo aqui, assim essa trama era encerrada de uma vez por todas. Deixar isso nas mãos do Sam e da Meg é esperar demais.

O Cas estava estranho durante o episódio quase todo. Eu entendo que ele estava em estado de negação ou qualquer coisa do tipo – e ele acabou de ressuscitar, ainda era tudo novo pra ele –  mas ainda assim foi demais vê-lo fazendo longos monólogos sobre insetos e preparando sanduíches vegetarianos enquanto os garotos seguiam os planos.

A única cena que eu realmente gostei dele foi aquela com o Dean, quando foram resgatar o Impala (que nunca devia ter saído da série). Adoro o relacionamento que os dois construíram ao longo dessas 4 temporadas. Só quero entender direito pra onde ele foi no final.

O cliffhanger foi uma das coisas que mais me incomodou. Não pela rasteira do Crowley, porque isso eu já esperava, mas porque é praticamente reciclagem do plot do Dean no inferno na season finale da 3ª temporada. Com a diferença que lá funcionou perfeitamente, era novidade e foi uma jogada ousada da série que me fez aplaudir de pé. Agora, tudo que eu sinto é decepção por terem encerrado outra temporada com algo parecido, só trocando o inferno pelo purgatório e com o adendo de que o Dean agora não está acorrentado – não que eu ache que isso vá adiantar alguma coisa com aqueles monstros.

As cenas do plano do Dick, o tal creme do genocídio, a participação do Kevin e tudo o mais ligado ao plot central também foi desinteressante, como sempre. Eu cheguei a olhar o relógio do player várias vezes, esperando que acabasse logo.

Pra não dizer que achei o finale 100% perda de tempo, eu gostei muito da despedida do Bobby. Foi bonita, singela, simples e necessária. Me deu um aperto na garganta.

A verdade é que não foi uma temporada tão ruim quanto a passada, mas passou longe de ser boa. Sera Gamble merece os parabéns, por ter conseguido destruir pouco a pouco tudo que ainda restava de bom em Supernatural. Primeiro o Cas, que voltou, mas não empolga mais, depois a morte despropositada do Bobby e até o Impala.

Minha vontade de continuar assistindo a série se foi também. Adoro as 4 primeiras temporadas. Durante a 4ª, a série estava no meu Top 3 de séries e era prioridade. Mas a partir da segunda metade da 5ª, ela começou a cair e hoje se encontra de uma forma que pra mim é irreconhecível – e insuportável, confesso. Mesmo nos episódios bons da temporada, a impressão maior que eu tenho (e agora é certeza) é que Supernatural deixou de funcionar comigo em algum ponto entre essa temporada e a passada.

É por isso que eu encerro minha jornada aqui. Essa semana tivemos o upfront da CW e o Mark Pedowitz, novo presidente do canal, afirmou categoricamente que não vê a 8ª como última temporada. Levando-se em conta que o show saiu do cemitério das sextas para as quartas, eu não duvido que chegue até uma 10ª. Não consigo entender o que leva um canal a manter uma série apenas por dinheiro e audiência, em detrimento de uma história que não existe mais.

Prefiro parar com a série agora e guardar as boas lembranças dos 4 primeiros anos do que seguir em frente e ver isso ser destruído ainda mais.

Aos que continuam firme, boa sorte. Obrigado pela companhia nos reviews dessa temporada e a gente se cruza em outras séries por aí.


Alexandre Cavalcante

Jornalista, nerd, viciado em um bom drama teen, de fantasia, ficção científica ou de super-herói. Assiste séries desde que começou a falar e morria de medo da música de Arquivo X nos tempos da Record. Não dispensa também um bom livro, um bom filme ou uma boa HQ.

Petrolina / PE

Série Favorita: One Tree Hill

Não assiste de jeito nenhum: The Big Bang Theory

×