Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

Switched at Birth – 1×06 The Persistence of Memory

Por: em 13 de julho de 2011

Switched at Birth – 1×06 The Persistence of Memory

Por: em

A dramaturgia é um modo de expressar – realística ou metaforicamente – o mundo em que vivemos. Independente de qual é o assunto abordado, se ela conseguir nos passar verdade, nos transmitir emoção, fazer-nos rir e chorar com os personagens, teremos aí uma produção completa. Em “The Persistence of Memory” vimos o quanto nossa sociedade é vil e cruel. Eu, sinceramente, me emocionei demais com Daphne. O preconceito é, talvez, o maior dos males sociais. Segregar um grupo pela aparência física, orientação sexual, deficiência, religião e por uma infinidade de outras coisas é o que mostra o lado sombrio da humanidade que se diz “soberana”. Quantos casos presenciamos em que alguém é discriminado e simplesmente não podemos fazer nada? O que impede uma pessoa surda de frequentar uma escola para pessoas ditas “normais” e obter o conhecimento que é oferecido?

Switched at Birth conseguiu fazer um episódio com uma carga dramática excepcional, focando na dificuldade de Daphne em ser aceita, sem distinções, por uma instituição de ensino. Desistir, claro, seria o caminho mais fácil, na verdade, o menos doloroso, e nossa personagem favorita até cogitou essa possibilidade. Mas Regina lhe mostrou que ela é mais do que tudo isso, que mesmo necessitando de um esforço redobrado ela conseguiria tudo o que anseia, e que baixar a cabeça não fará seus problemas desaparecerem. O jeito é enfrentá-los. O momento “own” do episódio ficou por conta de Kathryn, tentando aprender a linguagem de sinais. Regina deu um show em seu discurso, e construiu mais um dos momentos emocionantes do episódio. A cada aparição minha simpatia por ela cresce. Mas ok, na maioria dos momentos, minha vontade é dar um tapa na cara da Sra. Kennish. Troféu Chata de Galochas pra ela…

Bay está cada vez mais próxima de encontrar seu pai biológico. Quem será o misterioso Angelo Sorrento? Por que ele e Regina se afastaram e ele nunca mais foi visto? Teremos mais mistérios envolvidos nesta historia? E quem diria que Emmett e Bay formariam um belo casal? Achei tão bacana vê-los se divertir, passar bons momentos juntos. Se rolar, poderemos ter um plot muito bom, mas será que Daph deixa? Só para constar, estou sentindo falta de Ty. Cadê ele para dar uns puxões de orelha da sua ex-ou não-namorada?

E Toby está se mostrando muito saidinho, hein? Depois de mergulhar em dívidas graças ao poker, se viu obrigado a vender suas coisas para quitar. Mas mesmo assim não foi suficiente e ele pediu ajuda ao pai, mas resolveu que estava na hora de assumir suas responsabilidades. Na hora que seu amigo lhe falou dos negócios, pensei que era tráfico de drogas ou algo do gênero, roubar os testes, comparado a isso, é moleza. Mas será que tudo correu como planejado?! Espero que descubram essa trapaça e que o circo pegue fogo!

E o que será que o hospital descobriu que poderá utilizar contra os Kennishes na ação judicial? Seria o mistério escondido por Regina, ou talvez a troca não tenha sido tão acidental quanto se pensa. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos!

 


Tobias Romanzini

Porto Alegre - RS

Série Favorita: Grey's Anatomy

Não assiste de jeito nenhum: Fringe e séries policiais

×