Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

The Voice – 10×17 Top 12 Live Performances/10×18 Live Results

Por: em 20 de abril de 2016

The Voice – 10×17 Top 12 Live Performances/10×18 Live Results

Por: em

Agora a decisão está nas mãos da América!

Finalmente começa a fase mais empolgante do The Voice. Com o Top 12 formado por três integrantes de cada time, tudo pode acontecer. Como já vem sendo há alguns anos, nessa fase da competição qualquer um pode ser eliminado, não importando qual técnico o auxilia – tornando possível um técnico ficar sem competidores em apenas duas semanas.

E como estou me achando o Carlson Daily, terei um coach advisor por aqui também. A partir de agora, sempre teremos mais de uma opinião sobre as apresentações, tornando a review um pouquinho menos parcial (bem pouco, garanto!) – no caso, Alexandre queridíssimo que estará aqui nos acompanhando!

Também seguiremos montando um ranking semanal logo após as apresentações, apontando aquele que deveria ser eliminado. Vamos lá?

 

 

Mary Sarah (T-Blake)3controles

Alexandre: Eu não sou fã da Mary Sarah e acho que ela tem o sério problema de até hoje não ter conseguido superar sua audição. Parece que todo o potencial que ela tinha morreu ali e o fato dela escolher cantar Carrie Underwood, o que é totalmente dentro do esperado, só deixa tudo ainda mais previsível. Dito isso, não dá pra dizer que foi uma apresentação ruim, mas também não teve nada de memorável. Foi ok e é isso aí. Vida que segue.

Leandro: Uma das cantoras mais apagadas desse top, Mary ganhou aquele que é um dos piores spots da noite (a primeira apresentação) e provavelmente não foi a toa. Como já falei algumas vezes, não há nenhum tipo de problema com a voz dela ou sua afinação, mas sim o que ela representa: a mesmice do time de Blake. Bem morno, como eu já esperava.

 

Laith Al-Saadi (T-Adam)3e5controles

Alexandre: Faltou vida na performance do Laith. Não sou fã dele, mas uma das coisas que quase sempre gosto nas suas apresentações são como ele imprime seu estilo, sua voz forte, sua personalidade. E isso pareceu estar totalmente ausente aqui. Não vou dizer que me decepcionou, porque eu não esperava muito, mas eu sei que ele pode fazer mais.

Leandro: Eu adoro a vibe de Laith. Acho que ele não tem a menor chance de ganhar esse programa, mas adoro mesmo assim. Baita potência, aquela guitarra sempre presente, sensacional. Ele trouxe aquela pegada classuda do blues para o palco e merece demais nosso respeito (aplausos de pé merecidos).

 

Daniel Passino (T-Pharell)4controles

Alexandre: Que coisa boa é ver o Daniel de novo na competição. E fazendo jus ao seu retorno pelas mãos de Pharrell! Gostei muito da performance, mesmo sendo uma música já cantada diversas vezes em realitys. Ele colocou mais vida à música imortalizada pelo rei Michael Jackson e, pra não dizer que eu gostei de tudo, acho que ele podia ter usado menos as mãos. Em muitas partes, isso me distraiu.

Leandro: Daniel é incrível e ver seu VT de treinamento me deixa muito animado com as possibilidades para o futuro dele na competição. Vocais impecáveis, presença de palco e uma baita produção por trás da sua versão de um clássico – mas, sinceramente, achei que ele poderia ter escolhido algo mais atraente para essa fase. Ainda assim, incrível.

 

Emily Keener (T-Pharell)3e5controles

Alexandre: Primeira vez que gosto da Emily na competição. Difícil dizer como ela, que até agora só me dava sono, conseguiu acertar tanto. Foi uma performance contida, emocional, sincera, forte, doce, dura, singela… Emily simplesmente entrou ali e tomou o palco e a atenção para si. Foi lindo, lindo de se ver.

Leandro: Resumindo essa apresentação – voz incrível, música chata. Senti um sono de leve enquanto via. A querida não conseguiu segurar as notas que se prestou a fazer, o que sempre fica feio. Não entendi os aplausos de pé, de verdade.

 

Nick Hagelin (T-Xtina)4controles

Alexandre: Ainda estou me acostumando a esse Nick quase careca. O curioso é que parece que o corte de cabelo também alterou o estilo musical do rapaz. Ao invés da quase doçura das primeiras etapas, agora estamos diante de um cantor um pouco mais “rústico”, mais forte, imponente. Gostei muito do que ele fez com essa música do Blake e espero que ele continue surpreendendo, sempre trazendo algo de novo (como o piano aqui).

Leandro: Gosto tanto quando o cantor começa sentado, tocando um piano e depois se encaminha para a plateia. Nunca que imagino Blake cantando isso, parece que foi feita para a voz de Nick. Ele é um dos meus preferidos da temporada e, apesar de achar essa apresentação um pouco abaixo do que fez até aqui, ainda foi muito bom (fora que a gente fica todo emocionado ao ver o amor dele pela esposa, né não?).

 

Adam Wakefield (T-Blake)4controles

Alexandre: O melhor representante do Team Blake não fez feio e entregou uma das melhores performances da noite. O chapéu ainda me irrita, ele ainda tá travado e não gosto muito do fato dele me soar como um dos favoritos ao prêmio, mas não posso negar que ele sabe o que faz. Chegou, cantou e mostrou que está pronto. Standing ovation.

Leandro: Eu gosto muito da voz de Adam, só não aguento mais música country mesmo. Mas pode deixar ele mais uma semana sim, não me incomoda a esse ponto (galera aplaudiu de pé mais uma vez, tão simpáticos demais!).

 

Bryan Bautista (T-Xtina)3controles

Alexandre: Eu gosto muito do Bryan, esperei uma performance avassaladora quando vi que ele cantaria Kiss From a Rose, mas foi uma apresentação morna. Ele errou algumas notas que não poderia ter errado e que prejudicaram muito o conjunto final da “obra”. Bryan pode mais e já mostrou isso. Torço pra que tenha sido, de fato, só um pequeno deslize.

Leandro: Mas gente, o que acontece com esse repertório do The Voice que sempre nesses clássicos da Meia-Noite? Essa música já deu tudo que tinha que dar há anos, prejudicando demais a performance de Bryan que podia ser incrível. Ele que se cuide, porque com essas escolhas pode acabar parando no bottom do programa. Apresentação limpa, mas morna (gostei dos berros, investe nisso!).

 

Owen Danoff (T-Adam)4e5controles

Alexandre: Que performance deliciosa. Pra quem reclamava que o Owen estava muito refém do violão, um belo de um tapa na cara. O menino mostrou que não precisa do instrumento pra arrasar e só com presença de palco, carisma e voz fez uma apresentação contagiante e que foi crescendo pouco a pouco, tendo um encerramento incrível.

Leandro: Owen faz o tipo de apresentação que me agrada demais. Transforma músicas que ninguém conhece com versões adoráveis. Ele é um match perfeito com Adam e tudo que eles vem fazendo juntos é muito bom. Segue como um dos meus leads masculinos favoritos junto com Nick.

 

Alisan Porter (T-Xtina)5controles

Alexandre: Nem tem mais o que falar da Alisan. Poucos artistas conseguem ir de Janis Joplin em uma semana a Demi Lovato em outra e mostrarem um total domínio das duas. Alisan é o nome da temporada, a vencedora moral até agora e sua interpretação de Stone Cold foi arrebatadora. Se menina Demi viu isso, com certeza deve estar muito orgulhosa.

Leandro: Alisan, você tá aqui no coração, tá? Que apresentação linda. Fiquei emocionado real com o momento, com a voz dela, com a atmosfera que tomou o palco. Para mim, esta é a candidata a se bater na temporada. Queria sair gritando: É CAMPEÃ!

 

Paxton Ingram (T-Blake)2controles

Alexandre: O que esse menino faz na competição? Foi uma escolha ruim, o modo como Paxton cantou não fez sentido algum com a música e no fim só ficou bizarro mesmo. Sai daí, garoto.

Leandro: Procurando uma explicação para a permanência de Paxton na competição. Ainda não encontrei.

 

Hannah Huston (T-Pharell)4e5controles

Alexandre: Hannah é maravilhosa, né? Assim como Alisan, ela consegue transitar entre vertentes musicais diferentes e conseguir ótimos resultados em todas. Depois de Elastic Heart e House of Rising Sun, não esperava vê-la cantando Etta James, mas ela o fez e, mais uma vez, detonou tudo com sua potência vocal incrível. Vai que é tua, garota.

Leandro: Outra maravilhosa no Hall de competidoras da temporada. Senti falta de alguma coisa nessa apresentação. Não sei se Hannah acabou focando demais na técnica e deixou a emoção um tanto de lado, mas assim nada que tenha prejudicado ela a ponto de tornar seu momento menos incrível.

 

Shalyah Fearing (T-Adam)4e5controles

Alexandre: Fechou a noite com tudo. Shalyah é o tipo de artista que me faria parar tudo para ir assistir a um show. Tem carisma, tem afinação, tem ótimas escolhas musicais, tem estilo, tem identidade. E vem mantendo – e firmando – isso a cada semana. Se Alisan tem uma candidata moral (já que não dá pra confiar muito na votação da América), é ela.

Leandro: Tenho zero estabilidade emocional para essas apresentações que trazem esse ar de igreja americana para o palco. Shalyah é incrível. Ela só tem 16 anos e olha o que ela faz. Quanto potencial, quanta coisa no caminho. Com momentos assim, é impossível saber para onde ela está indo. Sério, sensacional.

 

RANKING DA SEMANA

  1. Alisan Porter (Xtina)
  2. Shalyah Fearing (Adam)
  3. Hannah Huston (Pharell)/Owen Danoff (Adam)
  4. Adam Wakefield (Blake)/Daniel Passino (Pharell)/Nick Hagelin (Xtina)
  5. Emily Keener (Pharell)
  6. Laith Al-Saadi (Adam)
  7. Bryan Bautista (Xtina)
  8. Mary Sarah (Blake)
  9. Paxton Ingram (Blake)

 

ELIMINAÇÃO

A noite de eliminação contou com a apresentação do novo single de Gwen Stefani (que todos nós amamos, certo?) e dos times de Adam e Blake. Depois, começou a pescaria dos candidatos salvos do Bottom 2 – que teve uma formação bem surpreendente. Os menos votados da semana foram Owen e Emily, que tiveram a chance de se apresentar mais uma vez, para tentar um resgate do público pelo Twitter no #VoiceSave. Depois, o momento crucial:

Sobre a eliminação…

Alexandre: Não tem o que falar desse bottom 2 extremamente injusto. Havia uma infinidade de candidatos que mereciam estar ali antes de Owen e Emily e qualquer das duas saídas seria sentida por mim. Não fico triste por Owen ter ficado, mas fico triste por ver Emily saindo enquanto Paxton continua ali.

Leandro: Ainda um pouco inconformado com esse bottom 2, sendo que tinha gente bem pior para estar ali. Não vou esconder que entre os dois, fiquei bem feliz com a saída de Emily, até mesmo para o Pharell aprender a montar um time direito. Mas que ela podia durar um pouco mais, isso podia.

 


Tá feliz com o Top 11? Eliminação justa nessa semana? Comenta com a gente, precisamos saber o que você está achando!


Leandro Lemella

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos mal compreendidos.

Santos/SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

×