Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

The Voice – 7×01 Blind Auditions 1

Por: em 24 de setembro de 2014

The Voice – 7×01 Blind Auditions 1

Por: em

E iniciamos mais uma temporada de The Voice!
Com Gwen Stefani e Pharrell Williams estreando na bancada de jurados, já começamos com uma ótima apresentação dos quatro:

 

O primeiro candidato foi Luke Wade, um cantor de soul  do Texas de 31 anos vindo de uma família de artistas, e já tinha sua banda. Aos 13 anos de idade sofreu um acidente em um tiroteio e perdeu a visão de um olho. Já tinha visto sua performance antes em um sneak peek e ele abriu o show com grandeza. Cantando That’s how strong my love is, música já gravada por Otis Redding e Alicia Keys, mostrou força e vulnerabilidade em sua voz, conseguindo com que os quatro jurados virassem suas cadeiras. E também estreando a competição entre os novos jurados – Pharrell mandou tão bem em seus argumentos que ganhou o cara! Dá uma olhada:

A segunda participante de 22 anos, Clara Hong, mostrou muita afinação, firmeza e um bom timbre ao cantar Chuck E’s in Love, de Rickie Lee Jones. Conseguiu com que Gwen, Pharrell e Adam apertassem o botão. Apesar de um pouco entediante, nos rendeu bons momentos com os jurados. Gwen subiu ao palco e fez uma farra enquanto Adam escrevia um poema para Clara. No fim, foi para o team Adam, nos surpreendendo, já que em sua entrevista ela disse ser muito fã de Pharrell.

Em seguida, a Texana Bryana Salaz de apenas 16 anos mostrou a que veio. Cantando Problem, de Ariana Grande, nós pudemos ver sua potência e estabilidade vocal – sem contar sua presença de palco que surpreendeu a todos por ser tão jovem e conseguiu com que os quatro coaches virassem suas cadeiras. Conquistou Gwen e estreou seu time!

Aos 52 anos, Dennis Bell arriscou depois de muito tempo sem se dedicar à música. Devido à morte de seu pai por um ataque cardíaco, ele foi obrigado a tomar conta dos negócios da família e não pôde mais trabalhar no ramo. Decidido a recuperar seus sonhos, cantou She used to be mine, gravada por Brooks & Dunn, acredito clássico da música country americana. Infelizmente não conseguiu nenhuma virada de cadeira, mas levou grandes elogios dos coaches – e pra mim, o melhor veio de Gwen, quando disse que enquanto ele cantava, o público reagia e mostrou ao participante que ele mexeu com os espectadores:

Depois de perder um amigo em um tiroteio e quase perder a vida, Damien, de Lousiana, apostou sua belíssima voz na sétima temporada de The Voice. Cantando It’s so hard to say goodbye to yesterday (gravada por Boyz II Men e Jason Mraz), mostrou sua dor e também grandeza em sua voz, mexendo com os sentimentos de todos os nossos jurados – e nossos também. No fim, em uma escolha um pouco óbvia para o tipo de participante, escolheu o team Adam para entrar no jogo:

Como sempre temos algum ex-participante, e dessa vez foi Allison Bray, que não conseguiu entrar na última temporada.  Apesar de um timbre bonito, pra mim, sua apresentação foi previsível e até um pouco irritante sem quase qualquer presença de palco – mas conseguiu atiçar a curiosidade de Blake, Gwen e Adam. Escolhendo Blake (previsível? quantas meninas não escolhem Blake? haha), ela finalmente conseguiu seu sonho de entrar na competição:

Californiana, Megg de 23 anos, mostrou personalidade e um bom histórico musical em sua entrevista pré-audição – lembrando até um pouco da própria Gwen Stefani. Apesar de muita atitude e potência vocal ao cantar Celebrity Skin, da banda Hole, não convenceu com sua instabilidade e agressividade ao nos entregar a apresentação. Desafinando em vários momentos, achei forçada e até um pouco despreparada para o programa. E como Blake disse, sua pronúncia realmente estava complicada. Torço para que ela trabalhe em seus pontos fracos e volte para o programa, pois sua voz é realmente forte:

Taylor John Williams, de 23 anos, canta desde sua infância. Atualmente trabalha em um hotel para cachorros, onde toca para seus clientes quando pode. Em sua blind audition, cantou sua própria versão de Heartless, do Kanye West. De cara, já conquistou Adam (já previa, quem não?!) e depois Gwen Stefani – que com seus ótimos argumentos, ganhou o participante para o seu time. Mostrou bastante criatividade e autoconfiança com uma voz gostosa. Aposto bastante nele.

O próximo participante, nos surpreendeu com uma versão de XO, de Beyonce. Elyjuh René, de 18 anos, mostrou versatilidade e estabilidade em sua voz. Apesar de achá-lo mais do mesmo, ele mandou bem em presença de palco e afinação – sem contar o risco que correu ao escolher a música. Entre Adam e Pharrell, não mostrou surpresa ao escolher o compositor da famosa Happy:

De Nova York, Bianca Espinal escolheu Foolish Games da cantora Jewel para sua audição. E acho que pecou na escolha da música. Não coube muito bem em sua voz e chegou a desafinar bastante. Apesar de boa, não soube mostrar todo o seu potencial e não conseguiu nenhuma cadeira virada. Nas palavras de Pharrell: ela teria que cantar primeiramente para ela mesma, e depois para o público. E assim, talvez, conseguisse a atenção dos jurados e espectadores. Pharrell já mandando muito bem nos conselhos!


O último participante da noite foi James David Carter, de 34 anos, com um passado de esportes que foi terminado por conta de um problema no joelho. E assim, resolveu seguir seu dom na música pelos últimos doze anos – abrindo até alguns shows pelos Estados Unidos. Cantando Nobody Knows (não conheço essa e tem um nome muito comum! algum leitor já conhecia?!), conquistou todos os coaches nos primeiros segundos! E já é um dos meus favoritos. A briga por ele foi grande e apesar dos ótimos argumentos de Gwen, ele obviamente escolheu Blake pelo gosto musical, e nada mais justo, não?!

E assim terminou o primeiro episódio da 7ª temporada de The Voice!
Algumas considerações finais:

– Não basta ser linda, Gwen Stefani precisa ser tão fofa, gente?! Adorei a ideia das camisetas para cada participante de seu time.
– Pharrell mostrou a que veio com ótimos argumentos em competições – mas achei ele um pouco sem carisma. Espero bastante que isso melhore com o tempo.
– Eu acompanho a maioria dos reality shows musicais e amo o formato do The Voice – mas confesso que tenho ficado entediada. Essa mudança de jurados me anima bastante, mas Adam e Blake já não estão cansados de falarem a mesma coisa sempre e repetirem as mesmas piadas? Gostaria de ver uma temporada com Usher, Shakira, Pharrell e Gwen – pra dar uma agitada geral. O que vocês acham?

E aí, como foi a reação com os novos jurados e participantes? Dêem seus pitacos!


Julia Sebber

Amante dos dramas da vida real, assiste qualquer coisa que tenha serial killers e/ou familiares juntos em causas sociais.

São Paulo

Série Favorita: Parenthood

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

×