Animal Kingdom – 1×10 What Have You Done (Season Finale)

15 de agosto de 2016 Por:

“Você me usou para fazer seu trabalho sujo, como sempre, (…) e chama isso de ser mãe? Você é mais doente do que eu”. (Andrew ‘Pope’ Cody)

Quando o canal americano TNT anunciou que tinha aprovado a produção de Animal Kingdom, confesso que torci bastante o nariz pra essa notícia. Não apenas porque achava improvável que a série conseguisse reproduzir com êxito, na pequena tela, o sucesso do filme australiano, como também o fato da produção ter sido descartada pela Showtime alguns anos antes já colocava sombras sobre a qualidade da série. O anuncio do elenco me deu um sopro de esperanças, e após ler o texto de primeiras impressões aqui no site, eu resolvi dar uma chance.

ak-1a

Nos primeiros episódios, minhas suspeitas se confirmaram: a produção parecia uma cópia pálida e sem o mínimo de originalidade, comparada à obra original. Cenas e diálogos foram copiados com exatidão, os cortes rápidos não funcionavam e a falta de carisma de grande parte do elenco deixava tudo ainda mais problemático. O anúncio da renovação veio acompanhado de uma grande virada na qualidade da trama. É fato que se fizermos uma comparação pegando os quatro primeiros e os quatro últimos episódios, será constatada uma diferença abismal. Nesse capítulo final da temporada, a produção não fez feio. O episódio fez jus às expectativas; apesar de eu, ao fim, ficar com a sensação de não foi nos entregue o melhor com o que poderia ter sido feito em virtude do material que os roteiristas tinham em mãos. Mas, analisando melhor, a verdade é que esse sentimento resume bem a temporada como um todo. Sendo assim, foi uma season finale coerente, frente à proposta da série.

O episódio avança em três dias após o assassinato da Catherine, o assalto à base Camp Pendleton e a proposta (pra não dizer chantagem) da detive Yates a fim de conseguir sucesso em seu caso contra os Cody. Em sua mansão, Smurf tenta fazer Baz esquecer o sumiço da esposa e focar na demora do dinheiro em sair da base, enquanto J é pressionado pela Detetive em entregar a família e os irmãos Craig e Deran ficam responsáveis pelo monitoramento do dinheiro através do tablet.

As cenas dos irmãos mais novos deixam claras o quanto ambos foram subaproveitados pela produção. Deran, ao menos, teve um plot para chamar de seu. Foi interessante acompanhar seu conflito em aceitar ou não sua homossexualidade, mas a questão foi logo abandonada na reta final. Entendo que por se tratar de uma temporada com poucos episódios, a necessidade de dar destaque à trama principal possa comprometer tramas secundárias, então fica a esperança que com a renovação, os roteiristas enxerguem o potencial e deem mais destaque a ele na próxima temporada. Já o Craig, esse realmente não tem muito a se destacar, já que passou metade da temporada cheirando cocaína e a outra fumando maconha. Por isso não fiquei surpreso quando ele tirou um papelote de pó no carro, mesmo com o Deran o questionando se seria a melhor das ideias ficar high dentro de um carro fechado enquanto ficavam monitorando o deslocamento do dinheiro. A sequência deles perseguindo os caminhões com os barris de óleo e depois a bagunça ao tentar recuperar as sacolas sintetiza bem suas funções pela maior parte da temporada: dois atrapalhados servindo de alivio cômico. Mas o dinheiro todo foi recuperado com êxito.

Ak-2

Na casa de Smurf, Baz só pensa em tirar a história do desaparecimento da Catherine a limpo. Ele não compra a história contada com Smurf, inclusive insistindo que a esposa não teria roubado o dinheiro. Ironicamente, era a única parte da história que era verdade. Ao interrogar a filha, percebe-se que a garota não estava num sono tão profundo quanto aparentava e ela pode vir a ser a chave para a verdade vir à tona. Isso liga o alerta interno da Smurf que logo trata de desviar as atenções e suspeita do filho adotivo para alguém de fora da família. Distorcendo as ameaças feitas pelo Vin, ela leva Baz a acreditar que o ex-parceiro de cela do Pope quem teria dado o sumiço na nora As cenas do Baz torturando o Vin foram fortes, mas era claro que o ex-detento nada iria revelar, já que ele sequer tinha consciência do porque que estava sendo espancado. Pope. Verdadeiro culpado pelo desaparecimento de Cath, a tudo assistiu passivamente. Como um bom covarde, ele prefere transferir a culpa a um elo mais fraco. Interessante que ele não teve coragem de dar fim à vida do Vin e deixou o deixou ferido e com bolso cheio de dinheiro, próximo a uma ambulância. Se isso irá trazer consequências a ele, só o futuro da série poderá responder.

Ainda na mansão da Smurf, Paul revolve que agora tem culhões e afirma para Smurf que ele quem está atrasando a liberação dos caminhões com os barris de óleo; afirmando que apenas irá liberar se conseguis 50 mil dólares a mais, referente ao acordo inicial. Smurf cede a chantagem do Paul, mas categoricamente afirma que o dinheiro irá apenas ser liberado sob suas condições. Humilhando um pouco mais o policial, ela o obriga a sair pela porta dos fundos e ao passar pelo corredor, ele flagra sua filha se drogando no quarto com o Craig. Paul sai de cena desmoralizado como pai e profissional.

Ao ser questionado por Smurf se estava mesmo dormindo com sua professora, J confirma, e sua avó exige que ele termine o relacionamento. Ele ainda está em conflito entre deixar Alexa ser presa e entregar sua família. Na casa da professora, ele questiona se o laço e o relacionamento criado entre os dois é mesmo real ou se não trata de algo apenas circunstancial proposto por Yates. Em casa, ver Smurf e os tios contando o dinheiro na mesa, J resolve expor todo o plano da detetive. A sequencia após essa cena é uma daqueles momentos que apenas Animal Kingdom sabe fazer. É um trabalho de montagem, edição, cinematografia e, principalmente, uma alta trilha sonora. Pela tranquilidade na cara de Smurf e seus filhos ao serem algemados, já ficou claro que os policiais nada iam encontrar de comprometedor, mesmo com a detetive ameaçando quebrar as pareces (miga, sua louca!). Depois é revelado que todo dinheiro estava escondido no fundo da piscina.

Ak-1

Detetive Yates ameaça J e esse então revela que gravou toda confissão de Alexa na cama. É revelado também que a policial já tentou aliciar a mãe do J, oferecendo inclusive drogas em troca. Ainda não consegui entender a raiz desse ódio tão profundo que a Yates nutre contra os Cody; parece-me pessoal demais. Difícil acreditar que um policial tão dedicado em honrar sua profissão iria se valer de artimanhas tão baixas para conseguir atingir seu objetivo. J ameaça expor ela ao chefe de polícia, e Yates não vê alternativa a não ser recuar. Alexa acaba pagando o pato, mas não acho que tenha alguém se lamentando pelo destino da professora. A sua avó, J revela que sabia que era ela quem pagava o aluguel e por isso, apesar de tudo, eles eram a sua família. Foi uma cena muito bonita; em troca, Smuf o presenteia com uma arma. Quando eu completei 18 anos, ganhei carta de motorista como presente, outros ganham arma; cada recebe aquilo que lhe convém, haha.

Os minutos finais trouxeram, em minha opinião, a melhor cena do episódio: o acerto de contas entre Smurf e Pope. Foi uma cena forte entre os dois melhores personagens (e atores) da série. Smurf cansou de esconder o seu desprezo que sente pelo filho mais velho, o quanto ela o considera fraco, fantasiando toda uma vida com a Catherine. Enquanto isso, Pope replica, afirmando o quanto ela é covarde e só contou a ele sobre a nora, porque tinha medo de que o Baz escolhesse a esposa ao invés dela. Eu concordo com o Pope, por mais de uma vez a Smurf já demonstrou um apego maior ao filho adotivo, inclusive acredito que isso seja o motivo a qual ela não aceitava Catherine na família; e numa eventual iminência de perder o Baz para Cath, ela seria capaz de qualquer coisa para impedir isso. Na sequencia ainda tivemos o acerto de contas entre Smuf e Isaiah; confesso que esperava mais desse encontro. Um tiro a queima roupa me pareceu pouco levando em conta o quanto a cena poderia render. Ainda assim, foi mais um show da Ellen Barkin, que nessa reta final tomou a série pra si e justificou sua escolha pra compor a personagem principal da produção.

Ps1: Nicky foi rebaixada a figuração, entrou muda e saiu calada.

Ps2: Aparentemente, seu relacionamento com o Craig vai ser levado adiante, e já prevejo conflitos envolvendo J e seu tio.

Ps3: Sensacional Craig e Deran roubando apenas a parte da frente do caminhão; mas onde foram parar os outros? Os militares não deram por falta?

Ps4: Paul tem que esperar por duas semanas e ir pegar o dinheiro em uma caixa de guarda pertences na rodoviária. Poor Paul.

Ps5: E Adrian, minha gente?

Ps6: Se Pope foi o destaque entre os irmãos, fico com uma sensação de decepção em relação ao Baz (Scott Speedman foi o principal fator motivador para assistir a série).

Ps7: “As pessoas me chamam de ‘Smurf’ agora”. A senhora é destruidora mesmo viu, viado!

Ps8: Linda a cena onde J pega a arma, enquanto observa Craig e Nicky abraçados a beira da piscina.

Ak-3

Com um episódio final inteligente, Animal Kingdom fecha a temporada com um saldo muito positivo. A série conseguiu burlar as próprias limitações, renascer dentro da própria série e entregar uma produção ágil e eletrizante, quando pretende; mas ao mesmo, sem esquecer seu ponto forte que são os conflitos internos da família Cody. Apesar de uma sequencia final sem um grande cliffhanger (prefiro assim em produções menores e com hiatus muito extenso), muitas coisas ficaram abertas para a já confirmada segunda temporada e temos motivos de sobra para confiar que serão retomados em sua melhor forma.

Queria agradecer também a todos que acompanharam as reviews publicadas aqui no Apaixonados por Séries. É a primeira série que eu pego para escrever, e confesso que a transposição do campo de comentários para o de postagem é mais desafiadora do que eu imaginava; ainda mais quando tive a difícil tarefa de substituir o querido Marcel, que não apenas foi um dos meus maiores motivadores, como também foram seus textos que me inspiraram a escrever. Obrigado a equipe pela oportunidade, especialmente Laís, pela paciência e por revisar cada publicação. Animal Kingdom volta ano que vem, e estarei aqui, nem que seja nos comentários, para acompanhar e escrever sobre Smurf e sua disfuncional família de criminosos.

Série Favorita: The Good Wife

Não assiste de jeito nenhum: The Leftovers

  • Fabio

    Alguém sabe quando estréia a próxima temporada?? xD

    • Paulo Halliwell

      Olá, Fábio, não consegui achar nenhuma informação de data por enquanto, mas imagino que por volta de junho/julho 2017

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

2 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter