Arrow – 5×23 Lian Yu (Season Finale)

27 de maio de 2017 Por:

Isso é tudo um jogo com a gente, CW?

Reprodução/The CW

Decidi ver o último episódio de Arrow na quinta a noite, depois de um longo dia. Sabia que a série apostaria em alguns retornos, por isso estava preparado para bons momentos. Fiz minha pipoca – um ato que recomendo sempre -, preparei meu suco e sentei para assistir. A trama foi sendo desenvolvida ao longo dos quarenta minutos e, quando eu menos esperava – vamos dar uma ênfase no MENOS ESPERAVA -, a tela mostrou o logo da série e encerrou sua temporada. Fiquei exatos 15 minutos tentando entender o que tinha acontecido. Não consegui. Procurei por compreensão nas redes, mas não tinha quase ninguém online. E então assisti o episódio de novo, como única maneira de tentar passar o tempo depois de tanta agitação.

“Lian Yu” representa o final de um ciclo para a série do Arqueiro. Durante 5 anos, revisitamos o passado de Oliver Queen, buscando entender o que tinha o levado a ser quem é hoje. Ao longo desse tempo, fomos apresentados a boas histórias, mas também a furos gigantescos – que nós, fãs da série, fazemos questão de tentar defender como passagens necessárias, mas que sabemos que não são TÃO necessárias assim. O lance é que o último capítulo dessa longa saga tinha que ser épico e foi exatamente o que o roteiro deste episódio entregou em duas frentes igualmente incríveis para quem estava assistindo.

Passado e presente foram entrelaçados em uma fuga da ilha que representou as grandes transformações de Oliver Queen. No seu primeiro resgate, foi o ponto de partida para se tornar um vigilante impiedoso e que combatia o crime em nome do pai. Agora, um Oliver maduro, consciente e menos inclinado a fazer exatamente o que esperam dele, mas sim o que acredita ser certo. Um verdadeiro herói. Muita gente fala que a série discutiu por tempo demais a questão do Arqueiro não lidar bem com o seu legado e com as suas escolhas: cara, esse é um embate que assombra qualquer herói por uma vida toda – as referências estão por toda parte, basta procurar. Por sinal, a construção de Oliver durante toda a temporada foi tão bem encaixada com sua personalidade e seus momentos, que não tenho muito o que falar, de verdade. Tudo nos levava exatamente a esse tipo de final, apesar de que ninguém, aparentemente, esperava por isso.

Reprodução/The CW

A nostalgia que a série apostou ao trazer antigos personagens foi uma cartada de mestre. O ar das duas primeiras temporadas estava ali, a todo momento, ainda mais quando invocamos Slade Wilson para a ação – tudo ainda cercado de uma dúvida que fez a gente questionar o tempo todo qual era o lado que o cara estava realmente jogando. Aqui, temos que destacar alguns pontos bem importantes:

  • O encontro de Nyssa e Talia é um dos grandes momentos desse episódio final. Por muito tempo, ficamos sem entender a dinâmica dessa família disfuncional, o que foi levemente esclarecido por meio do diálogo das duas.
  • A despedida de Malcolm Merlyn também foi bem difícil de aceitar. Encaramos tantos momentos com ele, desde a primeira temporada até sua recente participação em Legends of Tomorrow, que fica complicado de entender como que todo o Arrowverse vai funcionar sem ele existir mais. Mas essa é uma das baixas certas desse season finale, já que o ator confirmou nas suas redes que não retorna mais no próximo ano – salvo em participações especiais/eventuais flashbacks.
  • A Sereia Negra é uma das personagens que teremos que lidar daqui para frente, então seu retorno era mais do que esperado. Como eu já comentei com vocês, acredito que essa seja a maneira que a produção encontrou de redimir a morte de Laurel e a saída de Katie Cassidy do elenco. Vai ser interessante a gente poder explorar essa nova personagem e toda a bagagem que ela traz da outra Terra próximo a Lance, que agora parece mais do que convencido de que aquela não é sua filha.
  • Alguém estava esperando pelo retorno de Moira? Eu não. Amell comentou que alguém que ele gostava muito estaria no episódio, o que acabou sendo confirmado naquela cena linda do barco. Era um momento que eu sempre esperei para ver e a série teve um cuidado muito bacana em mostrar a fragilidade de uma descoberta como aquela, depois de cinco anos. Foi muito legal mesmo.
  • Temos que falar de Slade Wilson. MELHOR. VILÃO. QUE. A. GENTE. ODEIA. Sério, depois daquela participação ridícula que ele chegou a fazer, nada como uma redenção como essa. Perceber que estava sob efeito do Mirakuru e mostrar um pouco mais de perto sua real personalidade. Claro que a gente ficou puto com a possibilidade de que ele estava traindo Oliver mais uma vez, o que se mostrou só um recurso do roteiro para nos deixar ainda mais ligados no episódio. Alguns momentos me chamaram bastante atenção, como sua conversa com Oliver sobre os erros do passado e estar preso ao momento que seu pai se suicidou. Além disso, a hora que ele contempla o Arqueiro diante de Chase me soou muito paternal.

E agora chegamos ao momento que vamos falar de Adrian Chase.

Reprodução/The CW

Cara, que destruição que este personagem trouxe. Que virada de jogo para a série, que vinha em um looping de péssimos vilões. Chase representa a retomada do lado mais escuro de Arrow. Daquela pegada crua e realista que dominava as duas primeiras temporadas. De tudo que fez a gente gostar da série – e agora fez a gente relembrar isso. Chase era doente. Apesar disso ser atestado pela série, vimos que os limites que o personagem estava disposto a cruzar foram superados, principalmente com o sequestro de William. E quando a gente pensava que ele já tinha ido longe demais, ele demonstrava que estava a dez passos da nossa inteligência.

Toda a ação do episódio foi sensacional. Desde as lutas dentro daquela locação de Lian Yu até a perseguição no pier, que nos levou ao grande desfecho da temporada. Um desfecho que aconteceu ali, no meio do mar, onde também Oliver fora transformado em quem era até hoje. O suicídio do personagem é condizente demais com tudo que fez até aqui. Chase não poderia continuar vivo e Oliver jamais mataria ele, não nesse momento, não na frente do seu filho. Por isso, que a cena faz tanto sentido e traz uma simetria muito interessante com o suicídio do pai de Oliver.

E então, a explosão. Eu não sei vocês, mas aquilo me deu um desespero tão grande, que eu não sabia como LIDAR com o que estava acontecendo. Fiquei vendo as fumaças, a cara de desespero do Oliver e, então, o episódio acabou. Eu não estava preparado para o episódio acabar assim, até porque Arrow não costuma deixar grandes ganchos nos seus finais de temporada. E claro que meu lado racional sabe que eles não vão matar o elenco regular inteiro, porém COMO QUE VOCÊS FAZEM ISSO COMIGO? A explosão de Lian Yu é uma metáfora bem legal para o final dos flashbacks e o final de um Oliver Queen arrependido pelo seu passado, com o peso das escolhas que fez quando não sabia o que estava fazendo.

Reprodução/The CW

O que a gente espera? Que eles tenham conseguido chegar até o outro lado da ilha junto com Slade. Só isso. Porque não temos a menor noção do que pode ter acontecido no meio desse caminho.

O saldo que fica, depois desse episódio principalmente, é de uma temporada consistente e que veio como um grande cala-boca para muitos dos desacreditados na série. Quando começou a se falar na quinta temporada, Stephen Amell disse que a produção estava fazendo um grande trabalho de retomada e hoje podemos ver o resultado disso. Foi demais. Eu me arrisco em dizer que essa é a melhor temporada de Arrow, principalmente pela construção do protagonista, dos coadjuvantes e de um antagonista forte como Chase. As possibilidades são muitas daqui para frente, vamos ver o que a equipe prepara para nos surpreender de novo.

Reprodução/The CW

(Se você não viu o final de The Flash, pare por aqui)

Além de tudo isso, tivemos um final que levanta questionamentos – mais uma vez – sobre o futuro do Arrowverse. Assim como no ano passado, quando Barry criou Flashpoint e a gente ficou se questionando como tudo isso ia reverberar para as outras séries, desta vez o velocista escalarte atendeu o pedido da Força de Aceleração e se rendeu como “prisioneiro” da mesma – sendo que não temos a menor ideia de quanto tempo ele passará lá dentro. Eu arriscaria dizer que não será muito, exatamente para que os efeitos não cheguem nas outras séries mas, se for, o que isso muda na nossa vida?

Bom, basicamente, Barry Allen voltaria muito tempo depois, tempo suficiente para Wally já ser considerado como Flash e estar trabalhando em parceria com Oliver, que já está bem acostumado com a troca de mantos. Além disso, seria um vida que segue. Talvez o crossover do próximo ano seja exatamente para resgatar Barry, vai saber, né?

 


Galera, é isso.

Muito obrigado pela companhia de vocês e por sempre deixarem comentários tão legais por aqui. Arrow retorna só em outubro, agora as quintas, e a gente fica por aqui, acompanhando qualquer notícia de bastidor que surgir para compartilhar com vocês.

Ah, não esqueçam de deixar o comentário, preciso saber o que vocês acharam!

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos...

Ler perfil completo

Santos - SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • Valéria

    Eu não estou sabendo lidar com esse final.. TOP demais!

  • A única coisa que eu soube fazer quando o episódio acabou foi ficar encarando a tela, completamente sem reação. Como você mesmo disse a gente sabe que eles não mataram toda a galera, porque tipo ERA TODO O ELENCO REGULAR, mas mesmo assim fica aquele desespero do que aconteceu – o fato de eles não terem morrido não quer dizer que não tem algum problema na história.

    Como eu já te disse a CW quis fazer a gente pedir perdão por um dia ter duvidado que Arrow ainda teria tempos de ouro. Que temporada, que season finale. Se até aqui Flash vinha arrebentando esse ano a coisa mudou um pouco de figura, já que a season finale do velocista foi bem fraca em comparação a do arqueiro.

    Adorei ter o Slade de volta, toda a interação do Oliver com ele foi excelente – eu trouxa acreditei mesmo que ele tinha trocado de lado, mas ainda bem que não. E confesso que fiquei surpresa com a morte do Malcom, não estava por dentro das notícias. Não é o tipo de personagem que eu vou sentir falta, mas foi bem impactante como tudo aconteceu – entendo perfeitamente a reação da Thea.

    Quando você falou do retorno da Moira semana passada eu não via como isso seria possível ou bom, mas caramba eles mandaram muito bem. Foi muito emocionante! Gostei também do pequeno momento que eles deram pra Ollicity, merecido, sutil, sem forçar a barra.

    Agora, o William descobriu naquele exato momento duas grandes coisas: o Oliver é o pai dele, e o pai dele é o Arqueiro Verde! Porque até onde eu lembro o Ollie teve contato com ele, mas nunca se revelou como pai do menino e só a Samantha sabia que ele era o Arqueiro e que por isso era melhor eles se mudarem e se esconderem como fizeram.

    Enfim né, a muito tempo eu não surtava com uma season finale de Arrow e ficava tão ansiosa para a próxima temporada. Dizem que o tempo tem passado muito rápido, mas eu não acho que vá passar o rápido o suficiente pra chegar logo em outubro!

  • MasterX

    É bem possível que o Oliver tenha recorrido ao Barry para lhe pedir ajuda, já que ele tinha que enfrentar um grande exército com pouca gente do seu lado (daí ter “pedido ajuda” a alguns inimigos).

    Mas sabemos que o Barry não estava disponível, por isso, não pode ter sido ele a ter ido até Lian Yu e ter resgatado toda a gente no último segundo, com a maior das calmas. (Contudo isso até pode ter acontecido porque nem sempre as séries estão 100% sincronizadas. O que não devia acontecer, mas acontece. O Barry foi ao funeral da Laurel com os seus poderes, quando em The Flash ele estava sem poderes.)

    Mas se tudo estiver sincronizado, seria interessante que o Barry já não estivesse disponível e o Wally tenha ido substituí-lo. Ele podia ter hesitado ao início, mas chegava no último segundo para salvar todo o mundo.

    Esta é a minha teoria, mas pode ter acontecido algo bem mais simples, como eles terem chegado a tempo ao barco… o que seria uma solução algo pobre, mas um final com tanto impacto.

    E achei curioso você achar que o Barry vai estar longe da série algum tempo. Não acredito muito nisso, apesar de achar interessante. Acho que eles vão fazer uma de duas coisas: ou ele aparece logo no final do primeiro episódio, onde é mostrado o luto dos outros personagens. Ou a estreia da série vai ser de dois episódios no mesmo dia e ele aparece logo durante o segundo.

    Acho que eles não afastarão o protagonista muito tempo da série. Mas seria interessante termos o Barry longe cinco ou seis episódios (talvez com alguns flashbacks para o actor continuar a trabalhar) e depois os heróis juntavam-se todos para o ir resgatar. Era interessante, mas não acredito muito que isso possa acontecer.

    Ficam as minhas teorias. Nos vemos na próxima temporada.

    • Nickolas Girotto

      Eu aposto no Slade ter salvado o pessoal, ele conhece todos os cantos da ilha, acredito que ele deu um jeito.

      • MasterX

        É a solução mais simples e, sinceramente, mais possível. Mas eu acho que seria uma solução algo simplista, tendo em conta as possíveis consequências que foram deixadas no ar com o final da temporada.

      • Valéria

        estou apostando em Felicity e Curtis terem desarmado parte das bombas e eles conseguirem chegar ao navio da Argus ou eles terem pulado no mar..
        Já teve evento esse final de semana e SA já disse que veremos em falshback como eles se salvaram.

  • Renata

    Essa temporada foi demais.
    Sou muito fã de Arrow. Aquele tipo de fã que até quando a temporada está ruim eu assisto animada!
    Mas tenho que admitir que essa temporada foi uma redenção.

    Com certeza entrou na minha lista como a melhor temporada até o momento. O Chase foi um ótimo vilão, sempre a frente do Oliver até o último momento. Mesmo quando ele perdia ele estava ganhando.

    A explosão da ilha foi um ideia genial. Primeiro porque nos deixou com esse final surpreendente. Segundo porque indica o final dos flashbacks. Inclusive quero ver qual vai ser a decisão dos roteiristas quanto a isso. Será que vão cortar os flashbacks totalmente ou vão fazer eles independentes… Estou curiosa!

    E que chegue outubro de uma vez, pois estou ansiosa pela próxima temporada. Quero descobrir como eles escaparam dessa!!!

  • Nickolas Girotto

    Concordo Leandro, esse episodio fechou a temporada com chave de ouro, foi muito bom ver a série dar essa volta por cima e nos entregar esse presente.
    Ainda sim tenho que dizer que toda aquela luta com o Kovar só me agradou por parecer um filme dos anos 80, cheio de tiros com direito a helicóptero ser explodido com uma metralhadora, lembrando o estilo de filme do Dolph Lundgren. O final me agradou mas não me deixou preocupado sabe, acabei achando o final do Flash mais impactante, nem considerei aquilo como um gancho, pois já sei que os personagens vão sobreviver tipo esta quase todo o elenco ali.
    Gostei muito do retorno do Slade, o tempo passa e a gente acaba esquecendo dos detalhes né, esqueci que ele já não estava mais com o mirakuru, ver ele sendo um cara bom novamente foi uma das melhores coisas, também acho legal ver a relação do Oliver com a Nyssa, não sei por que haha mas acho legal o respeito que rola entre os dois, não sei se é por causa do “casamento” deles, mas ela sempre ajuda ele quando precisa e confia nele.
    Já que você falou do Flash, tenho que comentar que gostei muito que eles conseguiram fechar bem aquela temporada irregular, concordo com você, acho que o Barry não tem que ser resgatado logo no inicio e seria muito bom que fosse no crossover, só vou ter que deixar passar o fato de que se o Barry apagou a existência do Savitar o Wally não deveria ter mais os poderes.

    É isso ai, nos esbarramos em alguma outra review por ai hehe

  • Daniela Duarte

    Esse final ficou parecendo novela da Janete Clair (os mais velhinhos lembrarão) , explode todo mundo e começa de novo. Um classico!

O que você precisa saber de Punho de Ferro antes de Defensores

5 dias atráscomentarios

O último dos Defensores a mostrar sua cara foi também o mais controverso de todos. Se Demolidor estreou sob o peso da expectativa positiva, Punho de Ferro tinha a dura missão de provar a todos que a crítica prévia estava errada e que a saga de Danny Rand valia a pena. A série protagonizada por Finn Jones, conhecido por interpretar Sor Loras em Game of Thrones, sofreu duras críticas pelo ritmo diferenciado, a ausência de um aprofundamento no misticismo e as fracas artes marciais.  Se a série conseguiu ou não se sair bem, vai do ponto de vista de cada um. De uma maneira geral, dá pra dizer que Punho de Ferro é diferente de suas companheiras de universo porque seu […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Luke Cage antes de Defensores

6 dias atráscomentarios

Dando sequência no dossiê especial que preparamos para você ficar pronto para a chegada de Defensores na próxima sexta, hoje é dia de retomar os fatos da primeira temporada de Luke Cage, um dos personagens mais controversos dessa leva de séries da parceria Marvel e Netflix. Nosso primeiro contato com Luke acontece ainda em Jessica Jones, quando o cara é introduzido como buddy call da investigadora e tudo parece muito ao acaso. Porque, na verdade, é mesmo. Aquele foi o primeiro teste do ator no papel e até uma maneira do roteiro sentir como que o público reagiria a chegada do próximo defensor. As reações na época foram bem mistas porque, como podemos colocar de uma maneira legal, Mike Colter […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Jessica Jones antes de Defensores

1 semana atráscomentarios

A primeira série da Marvel protagonizada por uma mulher começa quando os pais de Hope Shottman (Erin Moriarty) pedem a ajuda de Jessica Jones (Krysten Ritter) para investigar o paradeiro da filha, e ela então descobre que o sequestrador da moça é ninguém mais ninguém menos que Killgrave (David Tennant): aquele que a traumatizou através de um relacionamento abusivo. A moça não é então a típica heroína a qual estamos acostumados, e algumas vezes até chegamos a duvidar se podemos chama-la assim. Por ter um passado marcado pelo abuso sua personalidade se torna um tanto ácida e sombria, além de deixar para a personagem um descontrole no consumo de álcool e a ideia de que desistir é a melhor saída, e […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter