As comédias preferidas de quem prefere drama

25 de outubro de 2015 Por:

Aqui no Apaixonados por Séries a gente já está acostumado com a abundância de dramas que rolam pela telinha e quase sempre roubam pra si os holofotes. Os dramas nos deixam apreensivos toda semana com cliffhangers arrasadores, e arrancam nossos corações (e nossas lágrimas!) com suas tramas, traumas e mortes (Game of Thrones que o diga). E se não for o bastante, alguns ainda tem que terminar com um cliffhanger gigante no ultimo episódio fazendo a gente passar um ano inteiro esperando seu sagrado retorno (essa foi pra você, Flash). Mas e o que a gente faz quando precisa de um break, um tempo para juntar os cacos e renovar as energias? Assiste uma boa comédia, que nos deixa mais leves e prontos para ter nossos corações martelados mais uma vez. É por isso que separamos as séries preferidas que quem prefere drama, porque, afinal, não dá pra sofrer em tempo integral.

The Office (por Camila)

The Office

 

The Office é aquela comédia que no início provoca muita vergonha alheia pelos personagens, ou melhor, pelo seu protagonista, Michael (Steve Carell) e suas atitudes completamente alheias a realidade do seu escritório de vendas de papel. Suas atitudes não condizem com um gerente e só prejudicam o bom trabalho da equipe. Mas esta não é uma série de drama e logo aprendemos a gostar do Michael e da sua relação com a equipe, coisa que ele passa toda sua vida tentando, fazer daquelas pessoas que trabalham juntas uma grande família. As situações sempre fogem do seu controle e vemos problemas de relacionamentos, de competitividade, de assedio, de perda de negócios, tudo levado ao extremo, mesmo por parte de quem tem pé no chão. 

Veep (por Janaina)

Veep

Veep definitivamente não é uma série para todo mundo. A série narra o cotidiano da vice-presidente dos Estados Unidos, Selina Meyer, e sua equipe de trabalho. O principal aqui é que tanto Selina quanto seu gabinete parecem ter caído ali de paraquedas e não demonstram nenhum tipo de habilidade política. E e é exatamente isso o que mais prende o telespectador: as situações sérias e a forma bizarra como eles lidam. Já foi dito nos Estados Unidos que de todas as séries que abordam política, Veep é a que mais se aproxima da realidade de Washington no que tange às situações, chegaram inclusive a pensar que havia alguém vazando informações, mas tudo isso são suposições. O que importa é que Veep tem uma protagonista que dispensa elogios e um corpo de atores que faz valer a pena.

Grace and Frankie (por Gizelli)

Grace and Frankie

Grace & Frankie é uma série original Netflix, sobre duas mulheres idosas cujos maridos se apaixonam um pelo outro. A partir daí, elas precisam lidar com o divórcio, com a adaptação à nova realidade e com a confusão que isso gera em suas famílias, que sempre foram próximas. O legal é que, na realidade, a série é uma “dramédia”. Ou seja, na verdade é um drama leve contado com muito humor. No fim, Gracie & Frankie é sobre passar pelas dificuldades mais inesperadas da vida e conseguir rir da própria desgraça, como acontece por exemplo, em uma cena maravilhosa na qual as duas mulheres resolvem comprar um maço de cigarros e são completamente ignoradas pelo vendedor (idoso, esse ser invisível na nossa sociedade). A solução? roubaram o maço de cigarros! É assim, nesse espírito de agridoce rebeldia que a gente vai aprendendo a amar a Gracie e a Frankie.

Being Erica (por Heitor)

Being Erica

Being Erica é na verdade uma série dramática, mas de um jeito leve e descompromissado, cheia de situações cômicas. Sabe aquela pessoa que tinha tudo para vencer na vida mas parece que nada deu certo? Pois é, esta é Erica. Ela acabou de chegar aos 30 e não tem emprego, casa própria nem mesmo um relacionamento estável e, e por mais que ela tente, parece fazer sempre as escolhas erradas. É aí que ela conhece um terapeuta com um método diferente de tudo que ela poderia imaginar: ele leva ela para reviver momentos de seu passado e entender seu presente. As viagens Erica são a parte mais divertida e doida da história (especialmente porque a atriz é sempre a mesma, não importa quantos anos ela volte no passado). Ela visita todos aqueles momentos da nossa infância e juventude que definem quem somos e  tenta resolver suas pendências (muitas vezes a contragosto) e fazer a diferença, sempre em companhia do terapeuta misterioso, que compartilha sua sabedoria. Essa dinâmica rende muitos momentos divertidos e, ao fim do episódio, parece que nós mesmos passamos por uma sessão de terapia e estamos um pouco melhor com nós mesmos.

Younger (por Andrezza)

Younger

Não tem um fã saudoso de Sex and The City que não tenha ficado feliz e ao mesmo tempo receoso quando Daren Star anunciou uma nova série. Pra mim, a surpresa foi muito positiva. Younger tem uma premissa que parecia boba, com uma mulher de 40 anos se passando por uma de 25. Mas a execução do roteiro, os cenários lindos de NY e a química do elenco tornam tudo bem interessante. Com pitadas de romance, pouquíssimo drama e muitas cenas de vergonha alheia, é uma comédia que ajuda a relaxar e ser feliz em cada episódio de 20 minutos. A série possui apenas uma temporada, mas felizmente já foi renovada.


E então, você também tem uma comédia preferida para aliviar o coração desse mundo de dramas? Conte para a gente!

Apaixonado por ficção científica, mais reverso que o Eobald Thawne e crítico de araque.

Salvador/BA

Série Favorita: Battlestar Galactica

Não assiste de jeito nenhum: Procedurais

O que você precisa saber de Jessica Jones antes de Defensores

5 dias atráscomentarios

A primeira série da Marvel protagonizada por uma mulher começa quando os pais de Hope Shottman (Erin Moriarty) pedem a ajuda de Jessica Jones (Krysten Ritter) para investigar o paradeiro da filha, e ela então descobre que o sequestrador da moça é ninguém mais ninguém menos que Killgrave (David Tennant): aquele que a traumatizou através de um relacionamento abusivo. A moça não é então a típica heroína a qual estamos acostumados, e algumas vezes até chegamos a duvidar se podemos chama-la assim. Por ter um passado marcado pelo abuso sua personalidade se torna um tanto ácida e sombria, além de deixar para a personagem um descontrole no consumo de álcool e a ideia de que desistir é a melhor saída, e […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Demolidor antes de Defensores

6 dias atráscomentarios

Com o sucesso do universo cinematográfico desenvolvido pela Marvel nos cinemas, um dos personagens mais interessantes e queridos dos fãs de quadrinhos foi ansiosamente aguardado para voltar a fazer parte do mesmo mundo. Homem-Aranha? Não, na verdade Demolidor. Após a Fox deixar os direitos de uso do personagem retornar para a casa das ideias, Marvel e Netflix fecharam uma parceria para desenvolver diversas séries de heróis. Demolidor abre essa parceria com maestria, trazendo uma série obscura, e violenta, diferente do que o personagem já viveu nas telas até então (abraço Ben Affleck!) Charlie Cox (Broadwalk Empire), dá vida a Matt Murdock, sofrido e realista. A série apresenta ele como advogado com o escritório associado em Hell’s Kitchen, e em seguida suas […]

Leia o post completo

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

7 dias atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter