Beauty and the Beast – 4×08 Love Is a Battlefield/4×09 The Gateway

31 de julho de 2016 Por:

Foram duas semanas agitadas. Como é possível perceber, não consegui entregar a review de Beauty and the Beast na semana passada, mas foi por um ótimo motivo: Comic-Con. Com todos os esforços do blog voltados para a cobertura do evento, acabou que eu esqueci do episódio e cá estamos. A verdade é que, mesmo em dois episódios, a evolução foi pouca e preocupante. Ao passo que estamos cada vez mais próximos do final da série, poucas respostas foram dadas, o que encaminha o roteiro para um final apressado, o que ninguém quer. Enfim, vamos dar uma olhada no que aconteceu em cada um dos episódios separadamente.

4×08 – Love is a Battlefield

batb-408-90210

Se eu falar que não sei para que serviu esse episódio, estaria exagerando? A sensação que ficou depois de 40 minutos observando os personagens foi a de que eles estavam imitando cachorros correndo atrás do próprio rabo: uma missão super difícil e que não leva a lugar nenhum. Enquanto Vincent colocou sua energia em conquistar a confiança da Graydal, foi possível observar como, mais uma vez, tudo que ele acaba escolhendo como caminho para buscar sua inocência, suja ainda mais o lado de Cat com a lei. Achei um tanto desnecessária a inserção de uma personagem única e exclusivamente para colocar ciúmes na protagonista, ainda mais quando é vivida por AnnaLynne McCord (90210), que ainda não fez a escolinha de atores para dar uma melhorada na atuação.

Um dos pontos interessantes, talvez, venha com o estabelecimento da confiança entre Cat e a chefe da operação que quer prender Vincent. Até agora a vimos lutando muito para conseguir ser ouvida como alguém que pode ajudar na missão, mas o seu lado estava comprometido e fazia total sentido – dificilmente seria a esposa apaixonada, a pessoa a prender o marido para sempre e sem previsão de pena. Com toda a encenação dentro da mansão do casal que seria roubado, Cat deu um passo para mais perto e agora começa a ganhar acesso privilegiado a algumas informações que podem ajudar a inocentar o seu amor (achei muito bonitinho os dois se encontrando na estufa – me lembrou bastante o clima da primeira temporada da série).

O que me incomoda é a trajetória de JT nessa temporada. Em alguns momentos desse episódio, eu pensei que o roteiro ia aproximá-lo o suficiente de Heather para que os dois se tornasse uma possibilidade, o que seria insano, pelo menos para mim. Aconteceu que a personagem, com toda sua eloquência, foi a portadora das más notícias: Tess está seguindo com a sua vida e era a hora dele seguir também. O problema é que JT está preso em espiral de problemas e questionamentos que não o deixam sair do lugar. Ele acha que tem obrigação de ajudar os amigos, deixando sua própria vida de lado por isso – o que Tess claramente não suporta. A verdade é que, mesmo sendo um ponto de apoio fundamental para a existência do amor entre Cat e Vincent, JT se deixou de lado e virou apenas a sombra de um casal que, assim que tiver a oportunidade de ser feliz, não vai pensar duas vezes nisso. E aqui não estamos falando de egoísmo, mas sim de saber entender seu lugar no mundo e como se doar, sem acabar com suas próprias perspectivas de vida. Enfim, por esse episódio morno, tá bom. Vamos ao próximo!

 

4×09 – The Gateway

batb-409-getaway

Aí, tá vendo. Só porque eu reclamei bastante do episódio anterior, eles vão e faze um bem decente para voltar a me animar – obrigado produção. Finalmente eu me senti assistindo a uma temporada final. A ação que permeou grande parte desse capítulo foi incrível e, pela primeira vez nesse ano, estamos mais perto de encontrar quem está por trás de tudo isso. Gosto bastante da maneira que Grace exerce um papel determinante para tudo que acontece, desde suas investidas incisivas até sua oferta de ajuda, que acaba de maneira bastante trágica, infelizmente. O importante disso é, na verdade, que as linhas entre certo e errado foram completamente distorcidas, fazendo de Cat a maior das perdidas no meio dessa confusão.

Quando a policial segura sua arma apontada para Kane, temos a maior representação de que ela não é mais uma pessoa apta a proteger a sociedade. Por mais que seja um amor épico, seu romance a cegou completamente, tornando suas atitudes bastante questionáveis e colocando todos em perigo por isso. Grace foi só mais uma pega no meio da linha de tiro, mas quantos já não foram os outros. Dentre os sobreviventes, Tess. O embate da personagem que já perdura há alguns episódios é completamente factível e real: como fazer da sua profissão algo valioso para a população quando sempre se pega no meio do conflito de interesse entre proteger sua melhor amiga. Achei que ela realmente ia abrir mão de ser capitã ou, quem sabe, abrir toda a história de uma vez por todas, mas ainda não chegamos a este extremo.

Interessante foi também perceber que até mesmo Vincent entendeu o limite em que chegaram. Por mais que queria encontrar quem está colocando um preço em sua cabeça, o médico está cercado por todos os outros lados possíveis. DNS está atrás dele, a imprensa também. Mesmo que todas as ameaças sejam eliminadas, não há como voltar ao que eram antigamente, o que faz desse momento um ponto sem retorno para o passado. E se nossos personagens entenderam isso de fato, a tendência é que, daqui para frente, vejamos a trama caminhar para um desfecho, talvez trágico, dessa história de amor que dura quatro temporadas e já enfrentou ameaças infinitas para existir. Acho que um final de episódio da série nunca me deixou tão animado quanto esse. Que venha a reta final.

 


Enquanto a gente espera pelo décimo episódio, vale dar uma espiada no vídeo promocional da próxima semana:

E claro, dá uma comentada comigo! Não quero sofrer sozinho com essa série!

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos...

Ler perfil completo

Santos - SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • O 4×08 pra mim foi um episódio de comédia com 40 minutos, porque eu ri do início ao fim! Era uma situação mais mirabolante e desnecessária que a outra hahaha
    Já esse 4×09 me animou também, toda aquela perseguição nos faz acreditar que a gente tá indo pra algum lugar – finalmente!
    Agora, esse cara que aparece na promo do próximo episódio já apareceu na série né? Ele já não suspeito de ser o cara por trás da caçada a fera?

    • Leandro Lemella

      Na real, acho que a gente tá é sendo feito de trouxa mais uma vez… mas não custa acreditar que a série terá um final decente. Estou mentalizando que só faltam mais quatro episódios. Vamos que vamos!

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

2 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter