Chicago Fire – 5×14 Purgatory

23 de fevereiro de 2017 Por:

Tudo está fora de lugar nesse episódio de Chicago Fire. O Batalhão 51 foi descaracterizado e só o chefe Boden pode mudar essa situação, mas será que ele consegue? Mais uma vez, o bom trabalho e o comprometimento dos bombeiros é que acaba fazendo tudo voltar a ser como sempre foi.

Como era de se esperar, ninguém está muito feliz com as transferências e cada um tenta se virar como pode nas novas atribuições. Foi interessante acompanhar como cada um deles fez para se enquadrar e como sentiram falta do trabalho onde formavam uma família.

Mouch e Hermann foram parar em um batalhão onde ninguém está nem aí para nada. Os veteranos foram os que mais sofreram com a mudança, porque estão mais do que acostumados com o 51. Os dois ficaram transtornados em ver outras pessoas no seu local de trabalho e Hermann perdeu mesmo a cabeça ao confrontar o Boden. Claro que o chefe estava tentando mudar a situação, mas é mesmo muito frustrante não poder fazer nada.

Stella voltou para o seu antigo batalhão, ao lado de Brett. As duas tiveram que lidar com um capitão agressivo e machista e um parceiro paramédico mal humorado. Elas não desistiram e mostraram porque são tão boas no que fazem. Nesse meio tempo, ainda ajudaram uma cadete a não desistir do trabalho. Girl power!

Cruz e Capp foram transferidos para a central de atendimento, o que foi a maior sacanagem de todas. Os dois são excelentes bombeiros e fundamentais nos salvamentos do Esquadrão. Já Otis foi para um batalhão mais tranquilo, com pouca ação, e ficou se gabando dos acidentes que atendeu (ou não) quando estava no 51. Otis, sempre como o alívio cômico.

Enquanto isso, no 51, Casey, Severide e Dawson tiveram que se virar para dar conta do trabalho ao lado de novos parceiros. Ficou claro, logo no primeiro chamado, que o chefe Anderson não apenas transferiu todos, mas escolheu os piores para compor o batalhão comandado pelo Boden.

Tudo parecia caminhar para uma situação permanente, mas um incêndio de grandes proporções, que envolveu vários batalhões, foi a chance que eles precisavam para mudar as coisas. Sem dúvida uma forçação de barra, mas não daria mesmo para seguir com o seriado com cada personagem trabalhando em um lugar né?

De qualquer forma, foi lindo ver como eles todos trabalham bem juntos e o quanto o comando do Boden é importante para que tudo funcione. Ele não apenas coordena toda a situação, como também coloca a mão na massa quando é preciso. Cruz, Capp e Otis também mostraram que não foram feitos para ficar longe da ação.

Todos de volta ao trabalho, é assim que queremos. E de quebra o Severide também percebeu o óbvio: seu lugar é em Chicago. Agora é aguardar pelos próximos acontecimentos, porque o chefe Anderson deixou bem claro que não vai parar por aqui e prometeu vingança.


E vocês, o que acharam do episódio? Aliviados por todos continuarem no Batalhão 51? Deixem seus comentários!

Jornalista, mãe, apaixonada por séries desde a época da Sessão Comédia, Gosto de dramas que emocionam e de comédias inteligentes. Também sou fã dos seriados de super-heróis.

São Bernardo do Campo, SP

Série Favorita: Outlander

Não assiste de jeito nenhum: The Blacklist

Primeiras Impressões: Atypical

4 dias atráscomentarios

Estreou ontem na Netflix a comédia Atypical, que conta a vida de Sam (Keir Gilchrist), um garoto autista que chega a idade adulta e passa a ter uma série de necessidades/curiosidades para descobrir quem realmente é. E nesse caminho de descobertas vamos entendendo mais sobre a sua personalidade, suas limitações e como tudo isso afeta a sua família e a todos que o cercam. Trazer o universo adolescente parece ter sido uma maneira do canal de streaming se aproximar do seu público, trabalhando pautas mais complicadas através de uma abordagem diferente. Foi assim com o suicídio em 13 Reasons Why e agora com o autismo em Atypical. Mas o que chama atenção mesmo é que, apesar de todas as limitações do […]

Leia o post completo

Primeiras Impressões: Mr. Mercedes

5 dias atráscomentarios

A Audience Network estreou, no último dia 9, Mr. Mercedes, um suspense baseado na obra de Stephen King. A série é estrelada por Brendan Gleeson e Harry Treadaway, dirigida por Jack Bender e tem como roteiristas David E. Kelley e o próprio Stephen King. A primeira temporada terá dez episódios. A história começa em uma madrugada de frio, com dezenas de desempregados fazendo fila em frente ao local que, no dia seguinte, vai sediar uma feira de empregos. Conhecemos uma mãe que levou sua bebê porque não tinha dinheiro para pagar uma babá, um rapaz gentil que empresta seu saco de dormir para que ela troque as fraldas e amamente a criança, e um homem meio ranzinza que faz algumas […]

Leia o post completo

Class

6 dias atráscomentarios

Class é um spin-off de Doctor Who, mas é preciso dizer, antes de mais nada, que não é preciso ter assistido ao seriado para entender a trama. Na verdade, a série tem mais semelhanças com Torchwood, outra derivada do seriado do Doutor, do que com a original, já que mostra as consequências dos eventos extraterrestres no planeta. A produção da BBC, em parceria com a BBC America, foi criada por Patrick Ness, também produtor da série-mãe, e estreou em 2016. Com apenas oito episódios, a série se passa no Coal High School, escola icônica no universo de Doctor Who, já que apareceu no primeiro episódio da série em 1963. Mais recentemente, esse era o colégio onde trabalhavam Clara Oswald e […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter