Merlí

Merlí é uma produção catalã de 2015, exibida pela TV3 e estrelada por Francesc Orella que…

Primeiras Impressões: Mindhunter

Mindhunter estreou na Netflix nesta sexta-feira (13) sob toda a expectativa que uma série de David…

Colony

Por: em 21 de janeiro de 2016

Colony

Por: em

Tenho um problema muito grande em escrever Primeiras Impressões: 1º) Minha resistência em assistir algo que não faz parte da minha rotina de séries; 2º) É muito difícil chegar em uma conclusão apenas com o um episódio. Com Colony não foi diferente – me ofereceram algumas estreias e eu escolhi a que a sinopse me interessou mais. Fiquei algum tempo (dias) digerindo o que vi e cheguei ao veredito de que não gostei. Mas já que estou aqui para dizer as minhas impressões, irei esmiuçar as minhas razões.

COlony 1.bmp

Colony é a nova aposta (alta) do querido canal USA – um drama de ficção científica estrelado por Josh Holloway (o Sawyer de Lost) como Will Bowman e Sarah Wayne Callies (a Lori de The Walking Dead) como sua esposa, Katie. A série, em 10 episódios, estreou dia 14 de janeiro nos Estados Unidos e tem como premissa um futuro próximo onde a Terra aparentemente foi invadida por extraterrestres, que cercaram cidades e sitiaram os seus cidadãos. Tem tudo o que se espera de uma “ditadura”: toque de recolher, forças armadas bem equipadas, desaparecimentos/sequestros sem explicação e, é claro, uma resistência. O personagem de Holloway, um ex-militar, vive sob outro nome para tentar se camuflar da obrigação inerente de se apresentar ao governo em serviço – somando-se ao fato de um dos seus filhos ter sido levado sem nenhuma explicação.

Todo o problema do Piloto, para mim, girou em torno de uma atmosfera meio forçada de tensão. Meio forçada eu quero dizer que tudo soou muito pretensioso. Esse não é o primeiro programa com o tema de uma ocupação que causa distopia e nem será o último, logo poderiam ter feito as coisas de forma um pouco mais interessantes. Talvez focando um pouco mais na dinâmica dos personagens principais no âmbito da ocupação e deixando a promessa de ação para depois. Will já parte em um plano fadado ao fracasso atrás do seu filho, enquanto sua esposa desafia as regras instaladas ao correr atrás de insulina para o seu sobrinho e depois, tentar saber notícias do amado que não retornou na hora de sempre.

Colony 2.bmp

A impressão que eu tive é que eles tentaram – sem sucesso – passar uma tensão que, por diversos motivos não estava lá (ainda). Nós não temos nenhum apego aos personagens para nos preocuparmos com eles, e depois da metade, as coisas correm para finalizar em um gancho que poderia ter sido mais bem trabalhado. Como eu disse – escrever sobre uma série a partir do seu primeiro episódio é uma tarefa difícil. Pode ser que Colony transforme-se em uma obra prima, mas por agora, eu não senti nenhuma firmeza. Talvez se o episódio tivesse sido entendido, as coisas tivessem sido diferentes. Mas eu, no alto do meu humilde filtro, não colocarei a série na minha programação – a não ser que ela comece a repercutir de forma a mudar a minha opinião.

O canal pago TNT estreou Colony dia 18 de janeiro e exibirá os episódios todas as segundas, na faixa das 22:30. Confira o trailer:

E você, já viu a série? Fique a vontade para dividir suas impressões conosco.


Lívia Zamith

Nascida em Recife, infância no interior de SP e criada no Rio. Vivo e respiro Séries, Filmes, Músicas, Livros... Meu gosto é eclético, indo do mais banal ao mais complexo, o que importa é ter conhecimento de causa.

Rio de Janeiro - RJ

Série Favorita: São muitas!

Não assiste de jeito nenhum: Friends (não gosto de sitcoms)

×