Guia da trilha sonora: The Get Down – 1ª temporada

10 de setembro de 2016 Por:

Um dos recentes lançamentos da Netflix, The Get Down, é uma série de seis episódios que explora os sonhos e aspirações de jovens pobres, latinos e negros do Bronx na Nova Iorque dos anos 70, através da arte. Misturando acontecimentos reais e ficcionais, a série explora o período histórico do fim da era Disco e do surgimento do Hip-hop em Nova Iorque. É claro que as tensões urbanas são importantíssimas para a construção desse cenário, pois o Hip-hop surge como uma reação aos conflitos sociais do período. Em vários momentos da série, é evidente o quanto a arte da periferia é marginalizada e criminalizada.

the-get-down-grafite

O Hip-hop tem quatro pilares, a instrumentação do DJ, o Break dance, o Rap, e o grafite. Na abordagem da série, este último foi, talvez, o mais visível dos quatro elementos que formam o Hip-hop e por isso, o mais criminalizado pelas camadas mais elitizadas da sociedade e por políticos oportunistas que tentavam desqualificar as manifestações artísticas das camadas sociais menos favorecidas para angariar votos e doações de campanha, sob a promessa da gentrificação.

É através da história do jovem Ezequiel (Justice Smith) que adentramos esse universo. A música, em The Get Down, é mais que um elemento de fundo para a história, ela tece as relações entre os personagens. Desde a música gospel na igreja ao Get Down de Grandmaster Flash, a música é fundamental para os acontecimentos importantes na vida dos personagens principais. Até mesmo a narração da série é feita em Rap pelo próprio Ezequiel no ano de 1996. Portanto, o cuidado com a escolha dessa trilha sonora foi fundamental para o sucesso da série, tornando a trilha sonora de The Get Down imperdível.

the-get-down-ezequiel-shaolin

A trilha mistura clássicos da Era disco e composições originais, além de incorporar músicas mais recentes ao repertório sem que esses anacronismos soem deslocados dentro do contexto. É importante ressaltar que The Get Down é um registro ficcional e não histórico. Ou seja, não é um documentário, mas um tributo.

Guia por episódios

https://www.youtube.com/watch?v=usv442G6H8A

Episódio 1

  • Rule The World (I Came From The City) – Michael Kiwanuka Feat. Nasir Jone como Mr Books
  • Be That As It May – Herizen Guardiola como Mylene Cruz
  • The Rubberband Man – Spinners
  • Shining Star – Earth, Wind & Fire
  • Bad Girls – Donna Summer
  • Vitamin C – Can
  • Concrete Jungle – Little Beaver
  • Wild in the Streets – Garland Jeffreys
  • Magic Bird of Fire – The Salsoul Orchestra
  • Disco Inferno – The Trammps
  • Play That Funky Music – Wild Cherry
  • Ponta De Areia/Be Ever Wonderful – Earth & Wind & Fire
  • Daddy Cool – Boney M
  • (Are You Ready) Do The Bus Stop – Fatback Band
  • Devil’s Gum – C.J. & Co.
  • Apache (Jump On It) – The Sugarhill Gang
  • Rule the World – Micheal Kiwanuka Feat Nasir Jones como Mr. Books

Episódio 2

  • El Carbonero – La Lupe
  • Pink Panther Theme – Henry Mancini
  • Think (About It) – Lyn Collins
  • The Assembly Line – Commodores
  • Turn The Beat Around – Vicki Sue Robinson
  • Superfly – Curtis Mayfield

Episódio 3

  • KC & The Sunshine Band – That’s The Way
  • Papa Was A Rollin’ Stone – The Temptations
  • Heaven Is In The Back Seat of my Cadillac – Hot Chocolate
  • Hot Stuff – The Rolling Stones
  • Funky Music Is The Thing (Mr Fantastic Edit) – The Dynamic Corvettes
  • Let’s Dance – Pleasure
  • Dance, Dance, Dance (Yowsah, Yowsah, Yowsah) – Chic
  • Money Runner – Quincy Jone
  • I Gotcha – Joe Tex
  • Action Speaks Louder Than Words – Chocolate Milk
  • Hollywood Swinging – Kool & The Gang
  • Que Lio – Willie Colon

Episódio 4

  • Ball of Confusion – Leon Bridges
  • Susie-Q – Jose Feliciano
  • Living for the City – Stevie Wonder
  • In The Bush – Musique
  • You Can’t Hide / You Can’t Hide From Yourself (Touch of Class GMF Remix) – ZAYN, Teddy Pendergrass & Grandmaster Flash
  • Hum Along and Dance – Jackson 5
  • Get Down (Club Mix) – Funk Re-edit
  • The Mexican – Babe Ruth

Episódio 5

  • Set Me Free (feat. Nile Rodgers) – Herizen Guardiola como Mylene Cruz
  • Give It Up Or Turnit A Loose – James Brown
  • Black Man in a White World – Michael Kiwanuka
  • Vitamin C – Can
  • Listen To Me – Baby Huey & The Baby Sitters
  • The Love You Save – The Jackson 5
  • Slippin’ Into Darkness – War

Episódio 6

  • Set Me Free – Herizen Guardiola como Mylene Cruz feat. Nile Rodgers
  • In Hollywood (Everybody Is A Star) – Village People
  • Rien A Dire – Marie & Les Garcons
  • The Emotions – Best Of My Love
  • Dr. Love – First Choice
  • Telepathy – Christina Aguilera Feat. Nile Rodgers
  • A Fifth of Beethoven – Walter Murphy
  • Star Wars Theme Song
  • Rule The World – Micheal Kiwanuka

 

Trilha sonora oficial lançada pela Netflix

the-get-down-soundtrack-album

  • Welcome to the Get Down – Jaden Smith
  • Rule the World (I Came From The City) [feat Nasir Jones como Mr Books] – Michael Kiwanuka
  • Cadillac – Miguel
  • Losing Your Mind – Raury and Jade Smith
  • You Can’t Hide / You Can’t Hide From Yourself (Touch of Class GMF Remix) – ZAYN, Teddy Pendergrass & Grandmaster Flash
  • Black Man in a White World – Michael Kiwanuka
  • Shaolin’s Theme / Pray – Malay & 6LACK
  • Ball of Confusion – Leon Bridges
  • Think (About It) – Lyn Collins
  • (Are You Ready) Do The Bus Stop / Suga [feat. Sarah Ruba] – The Fatback Bank & With You
  • Telepathy (feat. Nile Rodgers) – Christina Aguilera
  • Bad Girls – Donna Summer
  • Hum Along and Dance (Gotta Get Down) – Janelle Monae
  • Devil’s Gum – C.J. & Co.
  • Wild in the Streets – Garland Jeffreys
  • Que Lio – Hector Lavoe
  • Just You, Not Now (Love Theme) – Grace
  • This Ain’t No Fairy Tale – Justice Smith como Ezekiel Figueroa
  • Be That As It May – Herizen Guardiola como Mylene Cruze
  • Get Down Brothers vs. Notorious 3 – Jaden Smith, Justice Smith, Shameik Moore
  • Kipling Theme – Kamasi Washington
  • Set Me Free (feat. Nile Rodgers) – Herizen Guardiola como Mylene Cruz
  • Up the Ladder – Herizen Guardiola como Mylene Cruz & Justice Smith como Ezekiel Figueroa
  • Zeke’s Poem (I Am The One) – Justice Smith como Ezekiel Figueroa

Fonte

Arquiteta, feminista, prefere uma noite de maratona de séries do que sair para a balada.

Brasília/DF

Série Favorita: The Walking Dead

Não assiste de jeito nenhum: Gilmore Girls, The O.C., One Tree Hill, Girls, Love

  • Nathani Mota de Souza

    Nossa, muuuuito obrigada por esse post! <3

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

1 semana atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

2 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

2 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter