[Maratona] Battlestar Galactica – 4ª Temporada

2 de junho de 2013 Por:

Chegamos à tão esperada quarta e última temporada de Battlestar GalacticaTemos muitos spoilers pela frente, então não leia antes de assistir a série completa. Se você ainda não conferiu as reviews das outras temporadas, vá para o post de abertura da maratona, onde tem todos os links para os textos. Todos prontos? Então vamos falar sobre esta belezinha que é a quarta temporada de Battlestar Galactica.

Battlestar Galactica Adama

Twelve cylon models. Seven are known. Four live in secret. One will be revealed.

Doze modelos cylon. Sete são conhecidos. Quatro vivem em segredo. Um será revelado.

Com esta singela promessa começa a 4ª temporada. A season premiere já começa com toda a força, dividindo-se em três histórias principais: KaraGaius e os quatro cylons. Estes três plots são trabalhados durante boa parte da temporada. Kara simplesmente volta, depois de dois meses, como se nada houvesse acontecido. Sabemos que ainda falta um modelo para ser revelado, então a suspeita de que Kara seja uma cylon é inevitável. A situação é completamente inexplicável, já que sua nave voltou como nova e não havia nenhum dado de navegação.

Gaius novamente é salvo pelas circunstâncias. Mesmo sem intenção, ele consegue despertar sentimentos intensos. No momento, a maioria o odeia (convenhamos, com certa razão), mas existe um grupo que simplesmente o adora. No início ele pareceu apenas aproveitar a oportunidade, mas em um momento de sinceridade, ele conquista completamente a confiança do grupo e após a recuperação do garoto, ele fica convencido da existência do único e verdadeiro Deus. Serei honesta: Se fosse em qualquer outra série e em outro contexto, eu estaria incomodada com a forma em que Gaius sempre se salva de todas as situações de risco e sempre, de uma forma ou de outra, se salva. No entanto, o roteiro consegue encaixar esta característica com perfeita naturalidade.

Os quatro cylons que foram revelados no final da temporada estão agora sofrendo de uma compreensível crise de identidade. Bommer passou por isto na 1ª temporada. O que mais incomoda não é nem o fato de que agora eles são o inimigo que sempre combateram, mas é a sensação de privação do livre arbítrio. Se a programação deles, como cylons, não permitir a escolha em algumas situações, eles definitivamente não são humanos. Mas se eles puderem escolher ser quem eles sempre foram e continuar a viver assim, o que os diferencia de qualquer outra pessoa?

Em Six of One, os cylons começam a discutir abertamente sobre os cinco remanescentes, o que como foi lembrado por Cavil, seria proibido. Neste ponto, a única coisa que conseguia pensar é: por que agora? Por que não antes ou depois? Porque os quatro perceberam ao mesmo tempo e como os raiders notaram a presença dos remanescentes? Estas perguntas são relevantes.  Se levarmos em consideração a história de Kara, podemos especular que é por causa da proximidade com a Terra. Mas se for por este motivo, o que os cylons tem a ver com a Terra?

A questão principal é que esta não é a única coisa estranha que aconteceu em relação aos cylons. Em pouquíssimo tempo, muita coisa mudou em relação aos cylons. Tente lembrar sobre como como você via os cylons na 1ª temporada e compare com como você os vê agora. A diferença é gritante. Os personagens foram tão bem desenvolvidos que conseguimos ver uma evolução clara na forma de pensar. Caprica Six é o melhor exemplo possível. O que acontece é que agora a situação mudou consideravelmente. Os cylons ficam cada vez mais semelhantes aos seus criadores e o fato de Bommer ter votado contra seu modelo só deixa isto mais claro, já que no início da série os cylons demonstravam  poder de escolha limitado, apesar de serem uma espécie pensante. 

Híbrido Cylon

Nunca fui muito com a cara fuinha da Tory, mesmo antes de saber que ela era uma cylon. Mas em The Ties That Bind ela conseguiu que eu a odiasse. Até agora não consegui entender o que passou na cabeça de Callie para casar com Galen. Tudo bem que ele faz uma carinha de cachorro perdido, mas ele era um péssimo marido. Mas o que importa é que Tory roubou o bebê de Callie e depois a assassinou a sangue frio. Enquanto isto, a guerra interna dos cylons se intensifica. Eles estão completamente divididos, desconfiando uns dos outros e cometendo assassinatos.

A nave de Kara encontra um Leoben em sua busca em The Road Less Traveled. O cylon oferece uma aliança com os humanos contra os cylons que estão unidos com Cavil. Se Kara já era um pouco desajustada antes, agora ela está completamente doida. Neste ponto da temporada, é difícil saber, como expectador, se ela está certa ou não, mas se pensarmos como seus companheiros, é muito complicado confiar nela. Ela age agressivamente e não parece fazer sentindo enquanto fala.

Chegando no sexto episódio da temporada, Faith, a tensão não parece diminuir. Imagino como deve ter sido torturante para quem acompanhou a série conforme a estréia, tendo que esperar 1 semana para novos episódios. Ainda bem que assisti em maratona, pois é quase impossível não assistir tudo de uma vez. O início da aliança entre cylons e humanos é interessante e bastante tenso, pois existe uma enorme e justificável desconfiança entre as raças.

O desenvolvimento dos personagens é algo surpreendente. A série possuí uma quantidade enorme de personagens e a profundidade que é dada para cada um deles é impressionante. É muito raro que uma série consiga, em menos de quatro temporadas, desenvolver a personalidade de cada um de tal forma. As atitudes são sempre bastante coerentes com a situação, com o ambiente e com as relações criadas com o tempo. Como exemplo, temos Gaius, que cresceu assustadoramente devido a tudo que aconteceu com ele. O relacionamento de Adama e Roslin também é algo fantástico. Para mim, é um dos melhores casais do mundo das séries, pois a química entre os dois é muito natural.

Esta primeira metade da quarta temporada seguiu um estilo levemente diferente das outras. Apesar de a história da série sempre ter sido bastante contínua, haviam muitos episódios individuais com histórias fechadas. Nesta temporada, o roteiro dos episódios foi mais sequencial, costurando a história com poucos episódios que apresentassem problemas que fossem resolvidos no próprio episódio. Exatamente esta característica que faz com que a temporada seja excelente para fechar a série.

Gaius Baltar

Guess What’s Coming to Dinner terminou com acontecimentos bombásticos. O sonho no teatro pareceu se tornar realidade, porém sem a presença de Gaius e da Presidente. Os dois últimos acabaram sendo levados pela Nave Mãe cylon quando ela saltou, assim que o híbrido foi religado. Enquanto isto, em GalacticaSharon atirou em Six devido ao medo de perder Hera novamente. É evidente que estes acontecimentos causaram grande tumulto político e militar na frota, afinal de contas, a Presidente das Colônias foi levada embora e Zarek tomou seu lugar.

Isto nos leva ao oitavo episódio, Sine Qua Non, que traz Lampkin de volta à série. O advogado teve seu gato assassinado, mas acabou fazendo que Lee se tornasse o Presidente. Lampkin é um pouco doido, mas seu discurso faz sentido. Lee nunca pediu por suas conquistas, mas era óbvio que ele seria o candidato perfeito. No fundo, ele mesmo sabia disto. Ao mesmo tempo que Adaminha sobe ao poder executivo, Adama pai deixa seu comando para esperar por Roslin, deixando Galactica nas mãos de Tigh.

Em The Hub descobrimos o que de fato aconteceu com a Nave Mãe. O episódio foi bastante interessante, já que mostrou de perto a união entre cylons e humanos. Os dois lados ainda carregam desconfianças e preparam seu plano de contingência caso algo dê errado. O fato é que a missão foi concluída com sucesso, o que significa que todos os cylons perderam a capacidade de ressuscitar, sendo tão mortais quanto os humanos. D’anna também voltou, mas agora só existe uma cópia de seu modelo e ela tem importantes informações que levam aos cinco remanescentes e para o caminho para a Terra.

D’anna então decide que irá manter os humanos como reféns até que os quatro remanescente em Galactica fossem entregues à ela. Isto forçou o comando a preparar um plano para tentar resgatar os reféns, mas não havia praticamente nenhuma esperança nele. Tory obviamente foi a primeira a se apresentar, já que há muito tempo ela já abraçou o fato de ser uma cylon. O que me surpreendeu foi a atitude de Tigh. Ir se revelar para Adama não deve ter sido fácil, principalmente da forma em que ele fez. Dou créditos à ele pela coragem. Com a revelação, Adama tem uma crise mais do que esperada. Foi interessante como ele simplesmente quebrou com a notícia. 

Revelations trouxe momentos de tensão absoluta com os cylons e humanos medindo forças, a beira da destruição mútua. Isto até que Kara diz ter achado o caminho para Terra por meio de TighGalen SamLee então faz algo que só ele poderia fazer: tenta honestamente fechar a aliança com os cylons. Por mais que goste de Adama Roslin, duvido que os dois teriam feito isto tão facilmente. Sim, os cylons quase destruíram a humanidade, mas com o fim dos downloads, se a aliança não se concretizar e se as espécies não começarem a confiar uma na outra, todos serão destruídos.

Chegamos então, após uma longa viagem, ao tão esperado destino. O problema é que a 13ª Colônia está em ruínas. Acabamos o episódio que marca o meio da temporada com muitas revelações, como o nome do episódio sugere, e com a chegada na Terra. Só que ainda há muitas pontas para serem amarradas na segunda etapa da temporada.

D'anna e Saul Tigh

O desespero que se cria com a descoberta de que a Terra estava devastada é geral. Desta vez não há nenhuma esperança, nenhum outro lugar para fugir. O fato de a 13ª Colônia ser cylon é bastante interessante. Isto pode explicar porque eles se separaram das outras doze. O que aconteceu na Terra há 2000 anos atrás é semelhante ao que aconteceu com as 12 Colônias, seguindo a profecia de que tudo aconteceu antes e tudo acontecerá de novo. Em Sometimes a Great Notion descobrimos a identidade do último cylon, de quem já desconfiávamos há muito tempo, mas que conseguiu desviar nossa atenção depois de Nova Cáprica: Ellen Tigh.

Como se não bastasse a briga com os cylons e entre os cylons, em The Oath, os humanos começaram a brigar entre si. Zarek Gaeta organizaram um golpe para tomar o comando de Galactica, reunindo todos os que ficaram intensamente descontentes com a aliança com os cylons. O rancor que eles guardam dos cylons é enorme, obviamente, mas não sei como eles esperavam conseguir sobreviver sem esta aliança. Eu, pelo menos, não consigo ver outra alternativa. Neste ponto, se a aliança se romper, todos morrerão juntos, e não sobrará nem cylon nem humano para contar história.

Em Blood on the Scales a situação piora. Zarek conseguiu, por meio de Gaeta, efetuar o golpe que ele sempre desejava. Gaeta entrou nesta como um idealista e acabou sendo manipulado por Zarek. Não que ele seja completamente inocente, mas ele tentou fazer a coisa certa por caminhos obscuros. Pode-se perceber que isto pela resistência  que Felix demostrou em assassinar Adama, a quem ele chamou de Almirante, mesmo após o golpe. Zarek, no entanto, que tanto criticava Roslin por não ouvir o Quórum dos Doze, resolveu simplesmente fuzilar os membros do Conselho. No fim das contas, fiquei com dó de Gaeta. Ele era um homem muito inteligente, provavelmente um dos mais inteligentes da série, mas que em algum momento se perdeu.

O fabuloso No Exit nos trouxe de volta Ellen Tigh e com ela, algumas respostas. Na época em que Ellen morreu em Nova Cáprica, Cavil, ou melhor, John, manteve-a em segredo na Nave Mãe após ela fazer o download. A morte fez com que a cylon se lembrasse de tudo que os outros quatro remanescentes estão sofrendo para entender. Foram os cinco que criaram os modelos humanoides como conhecemos, com todas as suas características quase humanas, incluindo os sentimentos que o modelo One tenta negar com tanta intensidade.

Descobrimos, neste episódio, que John conhecia Ellen e já sabia, antes de todos, a identidade os cinco. Pudemos entender melhor John durante este episódio. Seu discurso jorra ódio contra seus criadores, contra os humanos e contra o Deus que ele nem sequer acredita que exista. Ele condena a fé de todos ao seu redor, mas acredita que seria feliz se fosse perfeito sem as limitações de seu corpo. Duvido muito que ele seria realmente satisfeito se pudesse ver raios gama e ouvir raios x. Não há perfeição que poderia satisfazer alguém tão amargo e arrogante quanto este modelo, que não poderia sentir um desejo mais humano que este.

Em GalacticaSam passou por uma experiência semelhante ao ser atingido por uma bala na cabeça. Com Ellen e com a recuperação das memórias de Sam, pudemos entender o que de fato aconteceu na Terra há 2000 anos atrás e o que estes cinco estavam fazendo junto com as 12 colônias.

Também entendemos sobre a criação dos humanoides, mas ao revelar isto, Sam afirma que foram criados 8 modelos, ou seja, um a mais do que temos conhecimento. O que é algo que faz completo sentido, considerando que conhecemos sete modelos, enumerados de 1 à 8, faltando o número 7. No mesmo episódio, Ellen nos conta que todos as cópias do modelo faltante foram assassinadas por John.

Kara Thrace

Someone to Watch Over Me é o episódio que tem a perturbadora cena do banheiro com HeloBommer Athena. Bommer enrolou todo mundo e conseguiu sequestrar Hera a mando de Cavil. Gosto do modelo oito em geral, principalmente porque Athena é muito legal e foi a primeira cylon a ficar fielmente dos lados dos humanos, mas vamos combinar que esta Bommer é uma vaquinha. Neste mesmo episódio, Kara descobriu a música que os quatro remanescentes ouviam a bordo de Galactica, deixando o mistério ao redor de Starbuck ainda mais complexo.

Nos damos conta de que a série está finalmente chegando ao fim quando Adama decide abondanar Galactica em Islanded in a Stream of Stars, devido aos grandes estragos que os últimos anos causaram na velha Battlestar. Chegamos então em Daybreak, que dividido em 3 partes tem a função de fechar esta fantástica história.

Começamos o finale com flashbacks das vidas de vários personagens importantes em Caprica City. Tivemos interessantes cenas, que nos mostraram mais do passado dos personagens que já tiveram suas personalidades perfeitamente estabelecidas durante a série. Após quatro temporadas, ver como cada um era antes do holocausto é impressionante. Podemos ver como cada um cresceu neste tempo e como as circunstâncias fizeram que eles chegassem onde estão agora.

Adama decidiu ir atrás de Hera, que muitos acreditavam ser a chave para o futuro da humanidade e dos cylons. Para isto, ele organizou uma missão voluntária para o resgate da garotinha. Na última missão em Galactica, cylons e humanos se uniram para lutar contra os 3 modelos e a cópia do modelo 8 que odiamos. Ver Galactica ser bombardeada nesta missão quase suicida foi algo triste. No meio da batalha, fomos levados novamente para o teatro com Hera, concretizando a visão completamente. Tudo para chegarmos na cena perfeita com o discurso de Gaius na sala de comando.

Nas mãos dos cinco remanescentes ficou, afinal, a responsabilidade de acabar com a guerra entre as duas civilizações. Tudo estava lindo demais, até que Galen descobriu que Tory matou Callie. A confusão voltou e no meio dela, Cavil acabou por se suicidar enquanto todo o resto atirava para todos os lados. Kara finalmente entende o mistério da música e o motivo pelo qual ela voltou dos mortos.

Finalmente a frota encontra descanso em um novo lar. A Terra que vivemos, e não aquela que eles encontraram alguns episódios antes, será onde os humanos e cylons começarão tudo de novo. O final escolhido não poderia ter sido melhor. Somente a força divina que foi tão comentada durante toda a série poderia justificar tudo o que aconteceu, fazendo com que as coisas seguissem seu plano, sem com isto ferir o livre-arbítrio de cylons e humanos. Chorei e me emocionei com o final de alguns personagens que aprendi a amar durante as quatro temporadas desta série de qualidade inquestionável.

Gaius Six Finale

 All of this has happened before…

But the question remains: does all of this have to happen again?

Tudo isto aconteceu antes…

Mas a pergunta permanece: Será que tudo precisa acontecer novamente?

Aqui acaba a nossa maratona de Battlestar Galactica. Espero que todos tenham gostado. Foi um prazer fazer esta maratona com vocês. Agradeço muito pela atenção e pelos comentários. Vocês nem imaginam como é importante para mim este feedback, principalmente porque são textos bem longos. São os comentários e a discussão gerada sobre a série que fizeram tudo valer a pena. Obrigada por acompanhar comigo uma das melhores séries dramáticas já produzidas.

So say we all.

Uma paulista vivendo em Minas esperando pacientemente o momento de sair para conhecer o mundo. Ou, quem sabe, o universo... Tudo depende de um certo Doutor e sua...

Ler perfil completo

Lavras / MG

Série Favorita: Joan of Arcadia

Não assiste de jeito nenhum: Séries médicas

  • Anderson Luiz Gonçalves

    Retiro o que disse sobre a 3ª temporada ser a minha favorita, essa é minha favorita. É assim que deve ser feita uma última temporada: direta e sem enrolações.
    Achei o final perfeito e coerente,foram 1h35m de pura satisfação. Gostei do final da Starbuck, achei bom e não me incomodou afinal ela cumpriu a missão. Vou sentir saudades dela. 🙂
    Adama e Roslin foi lindo,muito triste ela morrendo.
    Gostei muito de ter feito maratona com blog. Parabéns Keyla pelos textos e por ter me incentivado a começar a ver essa série. Por favor, quem não viu veja, é recomendável.

    PS:Adorei Tyrol matando Tori, estva esperando por esse momento há tempos.
    PS2: Starbuck fantasminha camarada kkkkkk
    PS3: Viu? Sabia que Ellen era um cylon. Desde aquela vez que o Gaius vez o teste e disse que não contaria o resultado desconfiei.
    PS4:Boomer vagaba. Morte merecida.
    PS5: Gaius e Caprica Six,casal favorito junto com Athena e Helo.

    • Também é a minha temporada favorita! =D
      Chorei com a morte da Roslin…

      Desconfiava da Ellen, mas aí ela morreu e demorou muito pra voltar hahahah aí tinha esquecido da suspeita

      Obrigada! =D
      E obrigada por comentar! Que bom que você gostou

  • raimundo zeoneudo pinheiro

    segui todos os dias sem perder nada, só na quarta temporada não não assisti tudo, como ta reprisando na syfy, vou acompanhar da onde parei, porem não gostaria que acabace, tinha que continuar o seriado, eu simplesmente amava.

    • Isso, termina sim.
      Seria legal ter mais temporadas, mas o final é mais do que satisfatório =D

      • Lua

        Battlestar Galactica é sem dúvida a minha série favorita, amo todos os personagens mas Adama e Roslin são muito especiais, principalmente juntos, eles possuem uma química maravilhosa e até hoje nós vemos o carinho que eles tem um pelo outro nos vídeos e fotos que vemos.

        Para quem quer continuar com pelo menos um pedacinho dessa história, depois da série, foram lançados:

        *BSG Razor ( Conta a trajetória de Pegasus antes do encontro com Galactica e depois disso, com Lee Adama como Comandante);

        * BSG The Plan (A perspectiva dos Cylons);

        * Caprica ( Apesar de ser sido cancelada, com apenas 1 temporada, Caprica é o inicio de tudo…);

        * Battlestar Galactica: Blood & Chrome (Fala do início de William Adama, ainda joven, em Galactica).

  • Camila

    Olha eu fiz maratona tb, terminei a quarta temporada a quase uma semana e sinceramente BG é uma das melhores series já feita. Apesar de não ter gostado muito do episódio final a serie se mostrou em todos os episódios muito boa intercalando diversos tipos de narrativas (românticas, guerra, política, intrigas, etc)
    Construiu muito bem seus personagens e suas historias.
    Keyla sinto muito não ter comentado antes e não ter acompanhado com vc, mas depois que eu conheci e terminei, primeira coisa foi vir aqui comentar. ^^

    Agora para mim esse final da starbuck ficou a desejar, não sei se é porque ela sempre foi minha personagem preferida e eu queria mais, mas eu entendi que eles queria deixar um final ambíguo.
    Porque na serie original além dos cylons tem os seres da LUZ.esses seres da LUZ foi apresentado nessa nova serie para gente em forma da capricha six que o baltar ficava vendo.já starbuck serie esse ser da LUZ em forma física que todos viam. Mas o final foi bacana ver o que eles sempre falavam ‘isso já aconteceu e vai acontecer de novo’.
    é uma grande serie vale muito, muito a pena assistir.

    ps: curiosidade que depois que terminei tava lendo a atriz que faz a starbuck e a atriz que faz a capricha six elas são melhores amigas na vida real, existem vários vídeos delas no youtube são muito engraçadas. ^^

  • Marcia Castro

    Acabei de fazer a maratona de Battlestar Galactica, e me doeu chegar ao último episódio. Sem dúvida, na minha opinião, uma das melhores séries de todos os tempos. Tudo nela foi absolutamente impecável, e tua análise das temporadas foi perfeita. Ler teus artigos foi o que me motivou a assistir. E não me arrependi. Lágrimas com o final do almirante e da Presidente, concordo contigo. O melhor casal da série. Pena que acabou 🙂

    • Ricardo Ryckardo

      Eu também terminei hoje. Já tinha começado pelo Netflix, parei quando tiraram a série do catálogo. Voltei pelo Sci-Channel, e tive que fazer o “download” dos últimos eps dessa última temporada para ver em high quality….

      Gostei muito da série… mas a história dos 5 cylons achei que ficou estranha, confusa… Vou procurar algo pra ler para ver se entendo…

      • Marcia Castro

        Em vários sites explica bem essa parte, tbm usei um guia desses pra me orientar…heheheheheh mas valeu a pena. Em alguns momentos tive de prestar atenção ou voltar o filme para compreender melhor. Mas valeu a pena 🙂

        • Ricardo Ryckardo

          Também fui atrás de guia, aí compreendi melhor a história dos últimos cinco, da décima terceira tribo, de o papel da Kara e de seu pai.

Girlboss: guia do que NÃO fazer na vida adulta

1 semana atráscomentarios

Teve gente que gostou de Girlboss, teve gente que achou a série fraca. Mas em uma coisa todo mundo certamente concorda: Sophia é um dos piores seres humanos que já vimos como protagonista de uma série. E com ela a gente pode aprender muito sobre o que não fazer para ser uma pessoa melhor. 5. Não roubar Em GirlBoss, uma das primeiras coisas que descobrimos sobre Sophia é que ela acha normal roubar. Não, ela não rouba porque precisa, porque quer ajudar alguém, ou se quer por uma questão de princípios contra uma sociedade capitalista. Sophia rouba porque se sente superior e simplesmente não respeita os outros, – muito menos suas propriedades. 4. Não ser egoísta com a melhor amiga […]

Leia o post completo

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

3 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter