O que esperar da 8ª temporada de House

24 de setembro de 2011 Por:

House não é mais o mesmo. Aquele seriado desaforado e instigante das primeiras temporadas faz falta. Até o mais cego defensor do drama reconhece que a qualidade da produção vem caindo e não é de hoje. Alguns dizem que a má fase começou na quinta temporada da série, outros vêm se sentindo insatisfeitos desde a saída dos ducklings originais no fim da terceira e há ainda quem aponte o relacionamento entre House e Cuddy, já na sétima temporada, como o início dos problemas, mas a constatação do desgaste é unânime.

E se a série já não vinha sendo vista com bons olhos a um tempo, o season finale da mais recente temporada não contribuiu muito para melhorar a opinião pública sobre o show de David Shore. Além da sensação de que eles fizeram aquilo simplesmente porque não sabiam como continuar conduzindo a história, a atitude de House não é condizente a tudo que o personagem mostrou durante as outras temporadas do show e o desagrado foi geral, tornando-se um prato cheio para os fãs que defendiam outros possíveis pares românticos ou para aqueles que simplesmente torciam o nariz para a ideia de House e Cuddy juntos.

Mas a criação de um relacionamento amoroso entre os personagens e a fatídica cena de House invadindo a sala de estar de sua ex-companheira não foram as únicas decisões criativas questionáveis que os roteiristas levaram à tela nas temporadas mais recentes. Como é natural em uma série dramática de longa duração, personagens foram tornando-se excessivamente caricatos (como Taub) ou descaracterizados (como Chase), a fórmula foi perdendo seu brilho, aquela incômoda sensação de mais do mesmo assombra todo o santo episódio e todo plot twist que promete “mudar a maneira como assistimos a série” revela-se um pretexto para mudanças efêmeras, que nunca ameaçam, de fato, o status quo estabelecido.

Portanto, a missão da oitava temporada de House é ter sucesso naquilo que sua predecessora falhou: reconquistar a audiência do programa. Várias foram as tentativas – o dia da semana em que a série é exibida foi modificado, os casos médicos ficaram mais ousados (e inverossímeis), a cada dois episódios comuns, tínhamos um “especial”… mas isso não foi o suficiente. Os índices de audiência registrados na sétima temporada foram os piores da série. House não é mais tão atrativa para quem nunca a assistiu e os telespectadores de longa data perderam sua confiança nos roteiristas, e agora, na oitava temporada, eles precisam provar que a velha história do médico manco e rabugento ainda é uma fonte decente de entretenimento.

Atenção: spoilers a seguir


E como se esta difícil missão já não fosse o suficiente para ocupar David Shore e sua equipe durante esta fall season, o grupo ainda teve que lidar com a saída de Lisa Eldestein (leia mais), intérprete de Cuddy, que pareceu discordar com os rumos tomados pela série e com o corte no orçamento anunciado para a oitava temporada. Apesar da insatisfação geral dos telespectadores, os roteiristas pretendem tirar o melhor da situação: ” quando sentamos para escrever o roteiro“, disse Shore, “decidimos lidar com o desafio e pensamos em um jeito realmente interessante de continuar, e acabou ficando bem emocionante“. O que significa que temos novas personagens chegando.

A personagem de Charlyne Yi será a Dra. Chi Park, uma jovem integrante da equipe de diagnósticos do Princetown-Plainsboro que será introduzida no episódio Transplant. Já Odette Annable, como já havíamos noticiado aqui, é a Dra. Jessica Adams, médica que trabalha na prisão para onde House foi mandado. Em Twenty Vicodins, a season premiere, os dois resolvem um caso juntos e isso leva-a a perder seu emprego, sendo posteriormente contratada por House. Os produtores já adiantaram que muitos ideais de Jessica são opostos aos de House, e que ambos terão “um relacionamento bastante especial“. “Ela vai mudá-lo e ele vai mudá-la“,  disse Hugh Laurie. Novo bromance a caminho? É provável.

Mas essas não são as únicas mudanças da nova temporada. Como todos já sabem, haverá um salto temporal de um ano e logo no primeiro episódio já podemos ver House em seus últimos dias na prisão, pagando pela inconsequência do final da temporada passada, e um antigo personagem será promovido a diretor do Princeton-Plainsboro (clique para detalhes). Apenas o primeiro episódio da temporada se passará inteiramente na cadeia, o suficiente para mostrar a dinâmica do lugar e como ela é influenciada por House, para introduzir a personagem de Odette Annable e para trazer House de volta para sua rotina sem correria. A estrutura deste episódio lembra muito o início da sexta temporada – Broken, tendo House como o único personagem fixo a aparecer em tela.

Por fim, o que eu espero desta oitava temporada é que ela seja a última. House já foi longe demais, já se perdeu vezes demais e precisa ter um fim antes que caia no ridículo. Nenhum fã da série quer vê-la se arrastando nas noites de segunda-feira da Fox e entregando episódios vexatórios a cada semana que passa, e acho que nós merecemos uma última temporada decente e bem planejada. Apesar das declarações de David Shore sobre não ter ideia de como seria a series finale e sobre a vontade da emissora de continuar a produção,  não vejo o seriado tendo uma nona temporada digna, e espero que seus produtores tenham noção de que deixaram de fazer televisão de qualidade quando passaram a buscar desesperadamente o prolongamento da série. House precisa acabar antes que caia ainda mais no conceito de público e crítica.

A nova temporada estreia oficialmente em 03 de outubro e terá reviews semanais no site.

Bela Vista do Paraíso - PR

Série Favorita: Arquivo X

Não assiste de jeito nenhum: Reality Shows

  • Gust_CM

    Obrigado pelos spoilers do fim do primeiro episódio! Ótima ideia colocar no meio do texto sem avisar nada.
    Agora já sei que não devo ler textos seus por aqui.

    • JM

      olá, Guts, desculpe por ter estragado o episódio para você – lembrando que muita gente já o assistiu, afinal ele está disponível na internet desde quarta-feira.

      está escrito “Atenção: spoilers a seguir” em negrito depois do quarto parágrafo, antes do vídeo “HOUSE Season 8×01 – ‘Twenty Vicodin’ Sneak Peek 2” – e não, eu não adicionei o aviso agora depois de ter lido seu comentário.

      você provavelmente é novo no site, mas todos os posts da categoria “Cenas do Próximo Capítulo” contêm spoilers – mesmo que leves – de episódios vindouros. confira você mesmo: http://www.apaixonadosporseries.com.br/categoria/cenas-do-proximo-capitulo/

      além de mim, o Apaixonados por Séries tem outros dezoito colaboradores e eu só vou cobrir quatro séries nesta fall season, ou seja, outras dezenas de séries terão reviews feitas por outros escritores. espero que você aproveite os posts deles. 🙂

  • Lucas

    House vai acabar sendo uma daquelas séries que termina sem grandes mudanças na rotina que conhecemos, tenho certeza que o series finale seria algo do tipo: a vida continua do jeito que é e pronto…

  • Felipe Branco

    Perfeito post.

    Acho que a falta de episódios com “casos marcantes” como House vs God, No Reason, Three Stories, aqueles sobre a morte da Amber etc.
    A série precisa de mais episódios como esses também.

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

5 dias atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

5 momentos incríveis da 2ª temporada de Master of None

5 dias atráscomentarios

Somos apaixonados por Master of None por aqui. Depois de uma primeira temporada sucinta, porém arrebatadora, esperamos quase dois anos (ou foi mais que isso?) para reencontrarmos Dev em um novo momento da sua vida. E, ao longo de dez episódios, tivemos a oportunidade de passear por muitos momentos incríveis na companhia do personagem, com um roteiro extremamente crítico e que faz com que a gente pare, reflita e mude algumas atitudes tão intrínsecas do nosso ser. Por isso, separamos (só) cinco dos grandes momentos dessa nova temporada, para revisitarmos e te convencermos de que, se você ainda não viu, essa é a hora para parar tudo que está fazendo e devorar o segundo ano de Master of None.   […]

Leia o post completo

Gypsy

6 dias atráscomentarios

Confesso que a princípio eu achei que Gypsy fosse um filme, afinal Naomi Watts e Billy Crudup são atores que estamos mais acostumados a ver na telona. Estranho ter um casal desse porte em uma produção para telinha do Netflix. De fato, Gypsy não é como a maioria das séries que estamos acostumados. Tem uma cinematografia de tirar o fôlego e um enredo que se desenvolve sem qualquer pressa. Com episódios de 50 minutos em média, Gypsy é quase um estudo de personalidade da sua protagonista, Jean Holloway, vivida por Naomi Watts. Ela é uma psicóloga, casada com Michael, um advogado que parece ter uma vida normal no subúrbio dos EUA. Tudo é muito sútil no início, mas vamos notando […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter