Os vencedores do Emmy 2015

21 de setembro de 2015 Por:

Um massacre.

GoT Emmy

Essa é a melhor forma de definir a vitória esmagadora de Game of Thrones no Emmy 2015. A série de fantasia da HBO estabeleceu um novo recorde ao levar para casa 12 estatuetas (8 vencidas no Creative na semana anterior e que dizem respeito a elenco e prêmios técnicos + 4 vencidas ontem, nas principais categorias). Com isso, o programa de fantasia da HBO se estabeleceu como a série que mais venceu Emmys em uma única edição – o recorde anterior pertencia a The West Wing, vencedora de 9 prêmios em sua temporada de estreia.

A série levou para casa os prêmios de melhor direção e melhor roteiro (ambos pelo season finaleMother’s Mercy), melhor ator coadjuvante (Peter Dinklage, que se mostrou bastante surpreso por vencer Jonathan Banks) e melhor série de drama, causando surpresa em todos os que acreditavam que a temporada final de Mad Men faria a limpa na premiação. Ledo engano.

À série da AMC, restou apenas o prêmio de melhor ator, dado merecidamente a Jon Hamm, sempre indicado, mas que nunca havia levado a estatueta pra casa. O que fez a série da fantasia (em sua temporada mais criticada) desbancar a então favorita? Talvez tenha pesado contra Mad Men o fato de ter vencido o Emmy em suas quatro primeiras temporadas. Ou até mesmo a falta de unanimidade crítica quanto a temporada final. Ou quem sabe o último terço da temporada de GoT, que diferente do inicial, foi muito bom, mesmo com algumas falhas aqui e ali (Oi Dorne, tô olhando pra você.)

A resposta certa, nunca saberemos.

67th Primetime Emmy Awards, Show, Los Angeles, America - 20 Sep 2015

Mas, se Mad Men não corrrespondeu as expectativas, outros favoritos não decepcionaram. Viola Davis chegou na noite como a principal aposta para vencer o prêmio de melhor atriz em série dramática, e não deu outra: A Academia rendeu-se a atuação de Davis em How to Get Away With Murder e fez dela a primeira atriz negra a vencer nesta categoria em 67 anos de premiação. A história sendo feita, com um discurso avassalador da atriz, que arrancou aplausos e emoção da plateia ao dedicar seu prêmio a todos os escritores e produtores que ajudaram a redefinir a representatividade negra na tv americana. Viola desbancou nomes fortes, como Taraj P. Henson, Robin Wright e a favorita do público, Tatiana Maslany.

Mas Davis não foi a única atriz negra a levar um prêmio pra casa. Uzo Aduba, de Orange is the New Black, desbancou a então favorita Lena Headey (de Game of Thrones) e ficou com a estátua de melhor atriz coadjuvante em drama. A Crazy Eyes também conseguiu seu recorde, ao se tornar a única atriz a vencer, pelo mesmo papel, nas categorias de drama e comédia. A prova de que, para um bom profissional, os rótulos são apenas detalhes.

Os prêmios de ator e atriz convidades foram entregues uma semana antes, no Creatives, e ficaram com Margo Martindale (The Americans) e Reg E. Cathey (House of Cards).

No ramo das comédias, a história também foi escrita e o reinado de Modern Family acabou. Vencedora do prêmio principal nos últimos 5 anos, a comédia da ABC saiu de mãos abanando na noite de ontem e assistiu à ascensão de Veep e Transparent

veep emmy

A comédia da HBO foi a grande vencedora do gênero, dando a Julia Louis-Dreyfus o prêmio de atriz principal pela 4ª vez consecutiva, a Tony Hale, a estátua de ator coadjuvante (que tinha como favoritos o ator e Tittuss, de Unbreakable Kimmy Schimidt) e os prêmios de melhor roteiro e melhor série de comédia. É um reconhecimento merecido para a série, ainda que tardio, além de representar uma mudança de rumos na Academia, que desviou da previsibilidade pela qual sempre foi criticada nos últimos anos.

Transparent, série da Amazon sobre um homem que se reconhece transgênero depois de anos, arrebatou os votantes e também levou pra casa um número considerável de prêmios. Jeffrey Tambor venceu ator principal, consagrando o favoritismo que sempre foi seu, Bradley Withford foi escolhido para levar o prêmio de ator convidado uma semana antes (o prêmio de atriz ficou para Joan Cusack, por Shameless), além do prêmio de direção, que também ficou com a série. A vitória de Transparent em muitas categorias – e principalmente a de Tambor – aponta para uma Academia mais aberta, menos preconceituosa e finalmente se abrindo pras mudanças de uma sociedade que já não é mais a mesma de tempos atrás.

O repeteco do gênero: Allison Janey, que levou pra casa novamente o prêmio de atriz coadjuvante, por Mom. Este foi o sétimo prêmio Emmy da atriz, que havia vencido 4 vezes por The West Wing, 1 por Masters of Sex e 1 por Mom. 

Quanto as recém-criadas categorias de série limitada, não deu pra mais ninguém. Olive Kitteridge, minissérie da HBO sobre uma professora de matemática que possui depressão, venceu quase tudo que concorreu: Roteiro, direção, ator coadjuvante, atriz principal, ator principal e série limitada. A limpa só não foi completa porque a sempre excelente Regina King levou pra casa o prêmio de atriz coadjuvante, pelo seu trabalho na elogiada American Crime. 

Nas categorias de variedade, The Voice venceu mais uma vez como reality, a nova queridinha da América, Amy Schumer, levou o prêmio de esquete de programa de variedades e o já clássico The Daily Show venceu nas demais categorias.

De uma maneira geral, foi um Emmy que simbolizou mudanças. Antigos vencedores e favoritos deram lugar a novos vitoriosos e os ventos parecem favoráveis a uma Academia cada vez mais aberta e disposta a deixar para trás a fama de quadrada e de sempre premiar os mesmos produtos.

Que assim seja.

A lista completa dos vencedores segue abaixo:

Comédia:

Atriz coadjuvante – Allison Janney (“Mom”)

Roteiro – “Veep”

Ator coadjuvante – Tony Hale (“Veep”)

Ator convidado – Bradley Whitford (“Transparent”)

Atriz convidada – Joan Cusack (“Shameless”)

Direção  -Jill Soloway (“Transparent”)

Ator principal – Jeffrey Tambor (“Transparent”)

Atriz principal– Julia Louis-Dreyfus (“Veep”)

Série – “Veep”

 

Variedades

Reality show –  “The voice”

Roteiro de programa de variedades – “The Daily Show”

Esquete de programa de variedades – “Inside Amy Schumer”

Direção de programa de variedades – “The Daily Show”

Programa de variedades – “The Daily Show”

 

Série Limitada ou Telefilme

Roteiro –  Jane Anderson (“Olive Kitteridge”)

Atriz Coadjuvante – Regina King (“American Crime”)

Direção – Lisa Cholodenko (“Olive Kitteridge”)

Ator coadjuvante –  Bill Murray (“Olive Kitteridge”)

Atriz principal –  Frances McDormand (“Olive Kitteridge”)

Ator principal – Richard Jenkins (“Olive Kitteridge”)

Série limitada ou filme pra TV – “Olive Kitteridge”

 

Drama

Ator convidado  – Reg E. Cathey (“House of Cards”)

Atriz convidada – Margo Martindale (“The Americans”)

Roteiro – “Game of Thrones”

Atriz coadjuvante – Uzo Aduba (“Orange Is the New Black”)

Direção – David Nutter (“Game of Thrones”)

Ator coadjuvante –  Peter Dinklage (“Game of Thrones”)

Ator principal – Jon Hamm (“Mad Men”)

Atriz principal – Viola Davis (“How to Get Away With Murder”)

Série – “Game of Thrones”

Jornalista, nerd, viciado em um bom drama teen, de fantasia, ficção científica ou de super-herói. Assiste séries desde que começou a falar e morria de medo da música...

Ler perfil completo

Petrolina / PE

Série Favorita: One Tree Hill

Não assiste de jeito nenhum: The Big Bang Theory

  • Gizelli Sousa

    Ainda me emociono só de lembrar do discurso da Viola. Foi lindo demais.

  • milatelcontar

    Realmente, o discurso da Viola foi a melhor coisa do Emmy! Ela foi muito foda!

    Acho que essa academia “mais aberta” a qual vc se refere é um resultado da mudança de votação, agora que todos os associados podem votar em todas as categorias numa segunda fase de votação. Isso deve ter pesado para a diversidade.
    Tomara que continue premiando shows que promovem a igualdade, quem sabe não temos mais coisas do tipo.

Queens que merecem redenção em RuPaul’s Drag Race: All Stars – Parte 2

1 semana atráscomentarios

Comemorando que RuPaul’s Drag Race acaba de conquistar o Emmy de Melhor Apresentador de Reality, Melhor Edição de Fotografia e Melhor Figurino (pelo episódio: Oh! My! Gaga!), além da VH1 não perder tempo em agendar a próxima edição All Stars para Janeiro de 2018 (está quase chegando!), em breve teremos a lista oficial das queens que estarão retornando para brigar por um lugar no Hall Of Fame do programa e ter a oportunidade de reescrever parte da sua história na competição. Assim como na primeira parte desse especial, eis aqui uma outra lista de participantes que não conseguiram atingir seu potencial e chegar longe na competição. Então, shall we begin? Trixie Mattel – Temporada 7 (Top 6) Oh honey! Quem não […]

Leia o post completo

Stephen King na televisão

1 semana atráscomentarios

Stephen Edwin King sem dúvida alguma é um (se não for “o”) maior escritor de terror e suspense de todos os tempos. Nascido em Portland, no estado de Maine, cenário da maioria das suas histórias, em 21 de setembro de 1947, teve uma infância complicada, tendo seu pai abandonado a família quando ainda tinha dois anos, e testemunhou um acidente com a morte de um amigo. Já escrevia desde criança, e vendia suas histórias aos amigos. Estudou inglês na Universidade do Maine, casou-se com Tabitha Spruce, em 1971, e lecionou sua formação em Hampden, enquanto isso escrevia para revistas masculinas. Teve problemas com álcool, e em 1999 sofreu um acidente sério, em que foi atropelado enquanto caminhava aos arredores de […]

Leia o post completo

Os piores plots das melhores séries

2 semanas atráscomentarios

Nós podemos até ser Apaixonados por Séries, mas vamos encarar a realidade: se tem uma coisa que não falta neste mundo são séries ruins. Tem aquelas que a gente sabe que são ruins, mas ama mesmo assim, tem aquelas que ficaram ruins por esquecerem da hora de acabar, e tem aquelas que são ruins porque são ruins mesmo. Mas já reparou como mesmo as séries muito boas – recheadas de prêmios e consagradas pelo público e pela crítica – têm aqueles momentos horrorosos, que a gente precisa aturar só porque o resto da trama vale a pena? Neste post, você vai reviver momentos de dor e sofrimento que já passou assistindo àquelas séries que só costumam trazer alegria. Aqueles plots […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter