Merlí

Merlí é uma produção catalã de 2015, exibida pela TV3 e estrelada por Francesc Orella que…

Primeiras Impressões: Mindhunter

Mindhunter estreou na Netflix nesta sexta-feira (13) sob toda a expectativa que uma série de David…

Painel de American Gothic na Comic-Con 2016

Por: em 21 de julho de 2016

Painel de American Gothic na Comic-Con 2016

Por: em

Seguindo a apresentação de suas séries para o público da Comic, depois de Scorpion (que você pode conferir o painel aqui) foi a vez de American Gothic ganhar os holofotes. O painel contou com a presença de Antony Star (Garret), Justin Chatwin (Cam), Megan Ketch (Tessa), Gabriel Bateman (Jack) e dos produtores executivos Corinne Brinkerhoff e Michael Yo. Para quem ainda não conhece a série, ela trata de uma família que descobre que seu patriarca, já morto, esteve envolvido em uma série de assassinatos e, para piorar, um dos familiares vivos foi seu cúmplice, apesar de ninguém ter ideia de quem seja.

sdcc-americangothic3

Claro que o público presente estava louco para debater as grandes revelações. Corinne, produtora da série, começou contando que desde a primeira filmagem que fizeram, ela já tinha completa noção de qual seria a resposta para o grande mistério e que dicas foram colocadas aqui e ali para tentar fazer com que o espectador chegasse a conclusão sozinho. O papo começa a se voltar para Garret e o ator que o interpreta se diz muito satisfeito com o personagem, exatamente por ele ter muitas camadas e permitir que ele, como profissional, vá descobrindo isso aos poucos e dando mais profundidade para a sua interpretação. “Eu realmente prefiro interpretar pessoas intimidantes. Elas são mais charmosas e discretas, o que combina muito comigo“, declarou o ator, tirando algumas risadas dos colegas de elenco. A produtora da atração aproveitou a oportunidade para comentar que o ator é super sensível e vulnerável, de maneira a fazer de Garret profundo como precisa ser. “Antony tem uma alma incrível e isso torna seu trabalho ainda melhor“, pontuou ela.

Ainda no campo dos personagens, Megan comentou sobre a sua Tessa e como é complicado interpretar uma personagem baseada na esperança. “Todo mundo chega com problemas até ela (Tessa) e, de algum jeito, ela tenta passar algum conforto a essas pessoas, da sua própria maneira“, contou a atriz. Ela ainda complementou que sua personagem está em cima do muro quanto a qual lado coloca sua lealdade: sua família ou seu marido – e como ela não sabe da verdade por inteiro, isso acaba a consumindo muito mais do que imagina. Depois foi a vez de Justin comentar sobre Cam e a maneira como interpreta seu personagem naturalmente, fazendo da sua neurose uma peculiaridade de sua personalidade. “Para mim, é importante que as coisas não sejam passadas de maneira errada. Ele é um cara normal com alguns aspectos diferentes na sua formação e lidar com isso é incrível como ator“, contou Justin.

sdcc-americangothic1

Quando questionada sobre como a ansiedade afeta na concepção da trama, Corinne comentou que, para ela, é importante que nem mesmo os atores saibam as respostas, pois isso cria exatamente a atmosfera de dúvida que ela precisa para causar ansiedade no público (e neles, que estão tão curiosos quanto, como demonstraram durante todo o painel). O moderador pergunta a Antony se ele gosta de interpretar pessoas “devastadas”, no que ele responde prontamente que sim. “É muito mais interessante do que interpretar um cara normal, né?“, brinca ele. O elenco comenta sobre Virginia Madsen e como ela faz de Madeline uma personagem incrível, muitos deles brincando, inclusive, que queriam roubar o papel da colega!

Justin fala também sobre a maneira como a série conseguiu encaixar sua linha narrativa entre o drama e o humor, entendendo a necessidade dos seus personagens e colocando isso para o público de uma maneira muito crível. “Eu nunca vi nada igual a isso, é incrível fazer parte de um projeto como esse“, ele disse. Apesar de saber quem era o grande cúmplice desde o começo, Corinne contou que as reviravoltas acabaram acontecendo aos poucos em sua mente e que isso adicionou camadas muito interessantes aos envolvidos, dando ainda mais profundidade para a trama do que ela esperava. O pequeno Gabriel também teve sua vez no microfone e comentou que se sente muito feliz por ter um papel como o dele, sendo tão novo e tendo a oportunidade de trabalhar com pessoas tão incríveis. E isso foi tudo!

sdcc-americangothic4

Quer saber mais novidades da Comic-Con? Fique de olho aqui no Apaixonados por Séries e saiba todas as novidades das suas séries favoritas!


Leandro Lemella

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos mal compreendidos.

Santos/SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • Wander

    American Gothic foi “promovida” à série? Até então eu estava achando que era apenas minissérie. Bem, eu abandonei após o primeiro episodio, mas achei interessante o painel. Se for renovada, dependendo dos comentários, penso em maratonar, pois o tema me interessou muito.

    • Leandro Lemella

      Ish, isso já não sei te dizer… mas pelo painel pareceu que sim!

×