Primeiras Impressões: Um Dia De Cada Vez

6 de janeiro de 2017 Por:

A Netflix acaba de estrear sua nova comédia Um Dia De Cada Vez. A série, que é remake de uma produção dos anos 60, acompanha o dia a dia da família de Penelope (Justina Machado), uma mãe solteira que mora com seus dois filhos e sua mãe. Até aí vocês devem estar se perguntando: “Ok, e o que isso tem de especial?” Bom, a família é imigrante de Cuba e é legal ver como eles se viram e incorporam o jeito latino nos Estados Unidos.

Apesar de ser um clássico sitcom, com aquele formato que já é comum e até mesmo clichê, Um Dia De Cada Vez conseguiu prender a atenção em seus 30 minutos e deixou a vontade de se aventurar pelos próximos episódios. Também por ser um sitcom – e uma comédia mesmo – , não podemos esperar ser aquela série carregada de tensão que vai nos deixar na ponta da cadeira durante o episódio inteiro. É aquela série mais leve, para gargalhar enquanto assiste. Mesmo assim, a série consegue tocar em alguns pontos que ainda são sensíveis à sociedade, como o machismo, um dos motivos que deixou a vontade de continuar assistindo.

Um Dia de Cada Vez - piloto

Uma das partes mais legais é que a série apresenta personagens mulheres muito fortes. Temos Penelope que costumava servir ao exército e é uma mãe solteira, Elena (Isabella Gomez), sua filha mais velha e Lydia (Rita Moreno), a avó. Obviamente que três mulheres com personalidades forte vivendo embaixo do mesmo teto iam acabar batendo de frente.

Outro ponto positivo do piloto é o contraste entre as tradições cubanas, representadas pela abuela, e as novas tradições, representadas por Elena. Quem nunca bateu de frente com um parente por ele não conseguir entender a “modernidade”? Ou ouviu a famosa frase “No meu tempo era diferente.” Agora imagine se sua avó, além de ser apegada às tradições antigas, fosse de um outro país e quisesse te obrigar a seguir as tradições de lá? É isso que Elena sofre. Espero que o relacionamento entre as duas ainda seja bastante explorado nos próximos episódios.

Um Dia De Cada Vez

É diferente ver a Netflix produzindo um sitcom, mas eles conseguiram trazer um piloto bom e cativante. Se você é fã de comédia, vale a pena dar uma chance a Um Dia De Cada Vez sim. Agora não espere aquelas produções “gamethronedianas” de maravilhosas ou tramas muito complexas porque não é a proposta da série. Dentro do possível, a Netflix fez um ótimo trabalho com a série!

E vocês, assistiram o piloto? Gostaram até agora? Contem nos comentários!  E não deixem de acompanhar as reviews a partir de amanhã.

Futura jornalista, viciada em séries e louca dos signos. Adora músicas pop punk e passa muito tempo em redes sociais. Só abandona a Netflix quando chamam pra ir...

Ler perfil completo

Rio de Janeiro / RJ

Série Favorita: Freaks and Geeks

Não assiste de jeito nenhum: Orange Is The New Black

  • Ana Cristina Gomes

    Já assisti os 4 primeiros episódios e adorei. Realmente é uma série leve, boa para assistir em família, para descansar a cabeça, e como os episódios são curtos para mim foram uma boa pedida para aquele tempinho antes de dormir. Ah, e o elenco é muito bom. Essa atriz que faz a Penélope não foi uma das internas de Grey’s Anatomy lá pela 5a temporada? O rosto dela não me é estranho…

    • Maria Eduarda

      Oi Ana!
      Eu to acompanhando também e to adorando!! A abuelita é maravilhosa haha é boa pra usar como uma “pausa” das séries mais dramáticas mesmo. Não sei se é de Grey’s (ainda não cheguei nessa temporada hehe), mas agora que você falou o rosto me é familiar também… vou ficar de olho

      • Stiles Stilinski

        Essa atriz esteve recentemente em Queen of the South, mas você talvez conhece ela de Six Feet Under. Ela esteve em Grey’s Anatomy mas foi como paciente na 3ª Temporada.

  • Vanessa

    Eu assisti a série toda e adorei, estou a espera de uma nova temporada.

  • Antonio Fernandes

    assisti todos os episódios, ansioso pela próxima temporada 😀

5 momentos incríveis da 2ª temporada de Master of None

4 dias atráscomentarios

Somos apaixonados por Master of None por aqui. Depois de uma primeira temporada sucinta, porém arrebatadora, esperamos quase dois anos (ou foi mais que isso?) para reencontrarmos Dev em um novo momento da sua vida. E, ao longo de dez episódios, tivemos a oportunidade de passear por muitos momentos incríveis na companhia do personagem, com um roteiro extremamente crítico e que faz com que a gente pare, reflita e mude algumas atitudes tão intrínsecas do nosso ser. Por isso, separamos (só) cinco dos grandes momentos dessa nova temporada, para revisitarmos e te convencermos de que, se você ainda não viu, essa é a hora para parar tudo que está fazendo e devorar o segundo ano de Master of None.   […]

Leia o post completo

Gypsy

5 dias atráscomentarios

Confesso que a princípio eu achei que Gypsy fosse um filme, afinal Naomi Watts e Billy Crudup são atores que estamos mais acostumados a ver na telona. Estranho ter um casal desse porte em uma produção para telinha do Netflix. De fato, Gypsy não é como a maioria das séries que estamos acostumados. Tem uma cinematografia de tirar o fôlego e um enredo que se desenvolve sem qualquer pressa. Com episódios de 50 minutos em média, Gypsy é quase um estudo de personalidade da sua protagonista, Jean Holloway, vivida por Naomi Watts. Ela é uma psicóloga, casada com Michael, um advogado que parece ter uma vida normal no subúrbio dos EUA. Tudo é muito sútil no início, mas vamos notando […]

Leia o post completo

Primeiras Impressões: Atypical

5 dias atráscomentarios

Estreou ontem na Netflix a comédia Atypical, que conta a vida de Sam (Keir Gilchrist), um garoto autista que chega a idade adulta e passa a ter uma série de necessidades/curiosidades para descobrir quem realmente é. E nesse caminho de descobertas vamos entendendo mais sobre a sua personalidade, suas limitações e como tudo isso afeta a sua família e a todos que o cercam. Trazer o universo adolescente parece ter sido uma maneira do canal de streaming se aproximar do seu público, trabalhando pautas mais complicadas através de uma abordagem diferente. Foi assim com o suicídio em 13 Reasons Why e agora com o autismo em Atypical. Mas o que chama atenção mesmo é que, apesar de todas as limitações do […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter