Os indicados ao Globo de Ouro 2018

As nomeações à 75ª edição do Globo de Ouro foram anunciadas nesta segunda-feira pela manhã por…

Primeiras Impressões: Dark

Dark é uma produção alemã de suspense e terror, criada por Baran do Odar e Jantje…

Sotaque bonito: cinco séries inglesas para maratona

Por: em 6 de janeiro de 2015

Sotaque bonito: cinco séries inglesas para maratona

Por: em

As séries inglesas são conhecidas pela qualidade na produção, roteiro, direção e atuações. Todavia, mesmo assim ainda há uma certa restrição a elas por parte do grande público. Isso pode ser creditado ao fato delas serem bem diferentes das séries americanas, principalmente quanto ao ritmo. Diferentes, porém excelentes! O inglês é conhecido por ser meticuloso e perfeccionista e as produções inglesas percorrem caminho parecido.

Já falamos no blog sobre diversas séries da terra da Rainha, algumas bem populares. Downton Abbey que já está em sua quinta temporada narra a vida de uma aristocrática família britânica e seus criados (que tem importante papel na narrativa). Já Luther é uma excelente série policial que tem como personagem principal um policial nada convencional. Também já falamos muito sobre a excelente Sherlock, uma série com micro temporadas e com isso deixa o telespectador curioso e ansioso por grande período de tempo.

Abaixo listamos outras cinco excelentes séries que valem também uma maratona. Se jogue no sofá, pegue a pipoca e aproveite o sotaque inglês, as locações incríveis e as produções impecáveis que as séries inglesas tem a oferecer!

The Village

village1
A série se propõem a narrar as transformações pela qual passou a Inglaterra ao longo de muitos anos, com foco em uma determinada aldeia do país. Para isso utiliza como instrumento a vida de Bert Middleton – desde sua infância até a sua idade mais avançada. A narrativa tem início no ano de 1914  quando o protagonista Bert, ainda criança, vive em uma fazenda com seu irmão mais velho e seus pais. As dificuldades financeiras e a chegada da primeira guerra mundial rondam a família e tomam boa parte dos episódios da primeira temporada, desencadeando na convocação de Joe, irmão mais velho de Bert, para a guerra. Já a segunda temporada traz Bert em sua juventude e além de colaborar com o sustento da casa, vive os problemas, dramas e anseios normais de qualquer jovem. The Village é uma ótima pedida para quem aprecia séries históricas e não se importa com uma narrativa mais lenta e cadenciada. A série criada por Peter Moffat é exibida pelo canal BBC.

Happy Valley

624

Happy Valley foi uma criação do canal BBC1 que chegou ao Brasil exibida pela Netflix. A série narra a história de um pedido de aumento salarial negado que desencadeia em acontecimentos nada bons. Em meio a isso temos a policial Catherine Crowther (Sarah Lancashrie) que conduz a investigação ao mesmo tempo que lida com seus próprios dramas familiares: a criação de um neto que seria fruto do estupro sofrido por sua falecida filha. O sofrimento de ter uma filha morta é agravado pelo fato de ter sido suicídio e também pelo suposto estuprador estar novamente de volta a cidade após ter cumprido pena por envolvimento com drogas. O ponto alto da produção é a mistura dos dramas de vários personagens com a investigação. A questão do estupro e a convivência com a criança é algo que leva o público a pensar o que faria e quais sentimentos teria em relação ao fato. Além disso, é mostrado o quão devastador é a perda de um filho para os pais e a ferida que muitas vezes insiste em não cicatrizar.  Os personagens são muito bem trabalhados,  ponto alto da produção inglesa.  Sucesso de crítica e de público, a série foi renovada para a segunda temporada e é ansiosamente aguardada por seus telespectadores.

 The White Queen

twq

Phillippa Gregory é uma renomada escritora inglesa, autora de diversos livros que são sucesso na Inglaterra. The White Queen é a adaptação de seu romance The Women of the Cousins War e foi exibida em uma temporada de dez episódios pelo canal BBC one. A história se passa no período da Guerra das Rosas e narra a luta das famílias Yorks e Lancasters pelo controle e trono da Inglaterra. O foco é em torno do Rei inglês Edward IV ( Max Irons) que se casa secretamente com Elizabeth Woodville (Rebecca Ferguson), uma jovem viúva inglesa. O casamento secreto do rei provoca a ira do manipulador Lord Warwick (James Frain), detentor de grande influência e importância na corte, que passa a articular nos bastidores a manutenção do poder. A história é contada principalmente sob o ponto de vista de três mulheres: a rainha Elizabeth Woodville, a religiosa Margaret Beaufort da casa dos Lancasters e Anne Neville, a filha do Lord Warwick, que articula o casamento da filha com o irmão mais novo do rei e visa futuramente coloca-lo no trono. Traições, paixões e guerra – esses são os elementos que garantem boa diversão. Curiosamente a série obteve mais sucesso em terras americanas do que na própria Inglaterra, o que levou o canal Starz a cogitar sua continuidade.

Southcliffe

southcliffe

Produzida em forma de minissérie e exibida em quatro episódios, Southcliffe conta a história de um jornalista que retorna à sua cidade natal com a notícia do acontecimento de uma série de tiroteios cometidos por um de seus moradores. O diferencial da série não são os motivos que levaram ao tiroteio ou a investigação em si, e sim o trauma nos moradores e familiares das vítimas ocasionado pela tragédia. Sucesso de crítica, a série escrita por Tony Grisoni e exibida pelo Channel 4 conta uma narrativa densa e complexa, ideal para quem aprecia um drama bem construído.

 Call the midwife

call-the-midwife

A produção inglesa é uma adaptação de Heidi Thomas da autobiografia de Jennifer Worth e é focada na vida de Jenny Lee (Jessica Raine), uma jovem enfermeira que exerce a atividade de parteira junto com freiras.A série retrata de forma detalhada e competente as dificuldades pelas quais passam as pessoas de baixa renda no tocante ao acesso à saúde. Em conjunto a isso assistimos a rotina pessoal das enfermeiras. A série além de entreter com pitadas de humor inglês, transmite uma mensagem de esperança em relação à bondade das pessoas, visto que as jovens enfermeiras trabalham quase que de forma altruística. Mais uma série que tem um elevado cuidado em retratar a história da época, desde os cenários até os figurinos.


O sotaque é bonito, as locações deslumbrantes e o cuidado com a produção também! está esperando o que para mergulhar no mundo das séries inglesas?


Janaina Helena

Mineira vivendo em Maceió. Viajante por vocação. Advogada por profissão. Séries, cinema, livros, corrida e torresmo!

Maceió-AL

Série Favorita: The Good Wife e Gilmore Girls

Não assiste de jeito nenhum: Arrow

  • Adorei esse post! estava precisando mesmo de séries novas (melhor ainda por nao ter tantos episódios).
    Por mero acaso descobri Call the midwife no netflix e me apaixonei 😀

  • Thiago

    Incluiria The Fall nessa lista, a primeira temporada está disponível no Netflix.

    • Janaina Helena

      Me recomendaram The Fall, mas ainda não tive a oportunidade de assistir. Obrigada pela dica!

  • Amo séries inglesas, elas possuem a capacidade de unir um excelente roteiro, atuação, fotografia. Assistie the White Queen, é perfeita! Recomendadíssima!

    • Janaina Helena

      A qualidade das produções inglesas é algo que impressiona mesmo!

  • Yara Rodrigues

    Adorei esse post, sou apaixonada por séries inglesas. Outras que estão na minha lista, além de The Village e Call the Midwife são My Mad Fat Diary, Vicious, Miranda e Doctor Who. Recomendo todas <3

    • Janaina Helena

      Vou assistir suas indicações e quem sabe rola um outro post mais pra frente… obrigada

  • Keila

    The Job Lot, Vicius, Strike Back (a 1 minissérie é completamente inglesa e as demais são co-produções) By any Means( apenas 1 temporada) são outras ótimas indicações de séries britânicas pra se assistir. The Life To Short que já foi cancela mais é ótima tb.

    • Janaina Helena

      Irei anotar todas sugestões que vc deu. Quem sabe depois rola outro post deste. Obrigada pelo comentário.

      • Keila

        Assista mesmo vai valer a pena. De nada e sempre gosto de comentar no blog e principalmente em textos interessantes como esse.

        • Janaina Helena

          Sempre leio seus comentários aqui no blog! abraços

×