Teen Wolf – 6×14 Face-to-Faceless/ 6×15 Pressure Test

23 de agosto de 2017 Por:

“Quando a paranóia se torna raiva e a raiva se torna violência, comunidades inteiras se dizimam.”

No último domingo (20/08), a MTV resolveu fazer a alegria dos lobinhos de plantão e exibiu não um, mas dois episódios simultâneos de Teen Wolf. Embora sinta certa tristeza ao constatar que nos restam apenas quatro semanas com a série – teremos mais um episódio duplo pela frente –, acredito que a estratégia da emissora foi boa, porque finalmente me empolguei com o que vi.

Ainda assim, apesar de terem sido exibidos juntos, os dois episódios possuem tons bem diferentes. Enquanto Face-to-Faceless se concentrou nas estratégias diplomáticas de Scott, Liam e companhia para a manutenção da paz, Pressure Test deu início ao combate. Não havia mais o que ser discutido e outro lado se recusava a escutar, enxergando a violência como única saída. Tudo isso, somado à misteriosa criatura que aumenta e se alimenta do medo, não poderia acabar de um modo diferente. Seres sobrenaturais e humanos estão em guerra!

Reprodução/MTV

Ainda assim, antes de chegarmos a esse ponto definitivo, vimos Scott McCall sendo, bem, Scott McCall e tentando a todo custo evitar o conflito. Essa determinação – louvável, diga-se de passagem – em salvar vidas, no entanto, torna o alfa impulsivo – pra não dizer estúpido – a ponto de aceitar se encontrar sozinho com caçadores em um lugar afastado. Obviamente era uma armadilha e nosso MaScott não morreu somente por que Malia – e Lydia – foi resgatar o mozão.

Se a estratégia – ou a falta dela – de nosso alfa genuíno não foi das melhores, pelo menos tivemos a oportunidade de aprender um pouco mais sobre Tamora Monroe e seus motivos para se tornar uma caçadora. Criar um contexto para a personagem e tentar aprofundá-la é algo importante, afinal bons violões possuem boas motivações, ainda assim, acho que Teen Wolf falhou um pouco por ter feito isso de forma genérica. Senti falta de algo capaz de despertar verdadeira empatia pela mulher que, no momento, tem exercido com maestria seu papel de vilã e só consegue acordar minha fúria. Entendo, contudo, o lado de Monroe como uma vítima, para mim, faltou conseguir me relacionar com seu trauma de forma ele não me soasse tão clichê.

Reprodução/MTV

De qualquer modo, enquanto Scott tentava negociar a paz, Liam era vítima de todo tipo de agressão e precisava controlar sua raiva, para provar a todos que não era uma ameaça. Mesmo usando todo seu auto-controle, as pessoas não pareceram convictas de sua inocência ou simplesmente já não se importavam e, não fosse pelo nosso amado Coach, sabe-se lá o que teria acontecido ao Little Puppy.

O ponto alto da semana, entretanto, ficou por conta dos eletrizantes acontecimentos de Pressure Test. O episódio já começou bem, mostrando o retorno definitivo de Theo. O quimera mal caráter estava em apuros– o que era óbvio dadas as circunstâncias nas quais o vimos pela última vez – porém, conseguiu utilizar sua inteligência para escapar, levando consigo dois “foragidos” que trouxeram  muita confusão. Em meio a todo o cenário caótico criado pelos caçadores, o rapaz parece ter conseguido ser tolerado entre o grupo de Scott. Será que, até o fim da temporada, ele consegue se redimir e deixar de ser um lobo solitário?

Reprodução/MTV

Falando em retornos, não podemos deixar de mencionar Deaton e todas as revelações que, como de costume, vieram com o veterinário. Após cinco episódios finalmente descobrimos que a criatura que escapou da Caçada Selvagem, e vem trazendo o pânico para Beacon Hills, é um anuk-ite, um metamorfo da desarmonia, também conhecido como Duas Faces, que além de provocar o medo, se alimenta dele. A perspectiva de enfrentar esse monstro não é muito animadora, ainda assim, pelo menos agora tem-se a noção de qual ameaça deve ser combatida.

Como disse anteriormente, gostei bastante do que vi e consegui finalmente me empolgar com os rumos que essa reta final da série está seguindo. Embora Face-to-Faceless tenha sido mais do mesmo, Pressure Test teve um ótimo ritmo, cenas interessantes de ação, personagens queridos de volta e respostas importantes. Ainda sinto que está faltando algo nessa equação, mas já estou bem mais satisfeita que nas últimas três semanas, o que vou considerar um avanço.

Observações:

— Morri de amores com o Chris todo preocupado com o Scott, querendo que a Melissa o mandasse ir embora, para que o menino ficasse seguro;

— Sigo adorando como as músicas românticas surgem do nada para criar um clima para Scott e Malia. Acho tendência!

— O pai do Scott também voltou a dar as caras (não foi a gente que pediu) e eu estou até agora tentando lembrar quando foi que ele descobriu que Scott era um lobisomem;

— Sempre fico com a sensação de que eventualmente o Nolan vai perceber que está sendo estúpido e irá mudar de lado;

— Sigo amando as interações entre Liam e Theo. Melhor dupla!

— Lydia anda bem apagadinha, né? Melhore, Teen Wolf, porque quero minha Banshee sendo a proprietária da série que ela sempre foi;

— Sofro todo episódio que não tem Stiles? Sim, eu sofro;

— Chegamos à metade da 6B. Agora só restam cinco episódios!

Uma fangirl desastrada, melodramática e indecisa, tentando sobreviver ao mundo dos adultos.

Mariana/ MG

Série Favorita: My Mad Fat Diary

Não assiste de jeito nenhum: Revenge

  • Hellen Dias

    Estava ansiosa por essa review, assim que terminei de assistir os episódios vim aqui para saber sua opinião… Concordo com tudo que disseste, realmente agora sim estou começando a me empolgar com a 6b. Há, eu também mal posso esperar para que o Stiles finalmente apareça, sempre começo um episodio com esperança de que ele esteja..

  • Artur Montenegro

    Um bom episódio, depois de um retorno que não havia empolgado ou entregado de cara o plot principal dessa última leva de episódios. Ainda temo que não consigam desenvolver essa trama de forma coesa e instigante. As criaturas sobrenaturais estão sendo odiadas e vítimas de intolerância? Estão, isso já entendemos. Mas também é preciso que os roteiristas engrenem de uma vez por toda os demais núcleos da série. Até agora não entendo o motivo da existência dessa criatura sem pele (comecei a apelidá-la de chupa-cu, o rei da mitologia brasileira), e espero que não tenha uma justificativa esdrúxula. Bem que a caçadora amadora poderia ter um motivo mais impactante, né? Sei lá, um familiar morreu quando Scott e o pack tentaram salvar Beacon Hills em algum momento. É clichê, mas seria bem mais plausível do que nos foi mostrado.

    No mais, as cenas na escola foram o melhor do episódio. Ninguém merece engolir todo diálogo bestinha de Scott e Malia, onde esta deixa escapar algo que faz Scott ficar confuso. O melhor foi a conselheira revelando sua enorme e visível marca por aí sabendo que metade das criaturas de Beacon Hills estudam no colégio onde trabalha.

    Excelente Review, Thais!

  • Nickolas Girotto

    Pois eu também me empolguei, achei os dois episódios bons e e consegui me envolver um pouco com a história.
    Ainda não aceitei a Tamora Monroe, aquele motivo dela não me convenceu sozinho, agora combinado com o medo que o real vilão trás, até faz um pouco de sentido, tipo o Scott e o Parish estavam atras do monstro para que eles não matassem mais ninguém, ele deixou ela de lado aquela hora, mas foi pra combater ele.
    O Coach se faz de louco, mas acho que ele sabe tudo que rola ali, certeza que ele sabe quem é lobo ali e o que eles já fizeram de bom.

  • Pedro Campos

    “Quantas pessoas morreram enquanto vocês tentavam”

    Menos do que morreriam se eles não tentassem, por favor né?

    Esse episódio teve participação da irmã do Dylan (Liam)!

1 Contra Todos

1 semana atráscomentarios

Com a lei de incentivo à produção nacional, várias produções poderiam sair do papel. Muitas delas não têm a menor pretensão de introduzirem uma ideia nova ou em mesmo de fazer sucesso. É por isso que uma série estoura na medida em que 1 Contra Todos fez, a gente tem que prestar atenção e dar os louros. Cadu (Júlio Andrade) é um advogado de Taubaté que será pai pela segunda vez, mas perde o emprego devido seus princípios éticos. Para piorar sua situação, é injustamente preso ao ser confundido com o Doutor do Crime, maior traficante do país. Para tentar sobreviver, e com o apoio de sua esposa Malu (Julia Ianina), ele decide se passar pelo criminoso como única forma […]

Leia o post completo

Queens que merecem redenção em RuPaul’s Drag Race: All Stars – Parte 2

1 semana atráscomentarios

Comemorando que RuPaul’s Drag Race acaba de conquistar o Emmy de Melhor Apresentador de Reality, Melhor Edição de Fotografia e Melhor Figurino (pelo episódio: Oh! My! Gaga!), além da VH1 não perder tempo em agendar a próxima edição All Stars para Janeiro de 2018 (está quase chegando!), em breve teremos a lista oficial das queens que estarão retornando para brigar por um lugar no Hall Of Fame do programa e ter a oportunidade de reescrever parte da sua história na competição. Assim como na primeira parte desse especial, eis aqui uma outra lista de participantes que não conseguiram atingir seu potencial e chegar longe na competição. Então, shall we begin? Trixie Mattel – Temporada 7 (Top 6) Oh honey! Quem não […]

Leia o post completo

Stephen King na televisão

1 semana atráscomentarios

Stephen Edwin King sem dúvida alguma é um (se não for “o”) maior escritor de terror e suspense de todos os tempos. Nascido em Portland, no estado de Maine, cenário da maioria das suas histórias, em 21 de setembro de 1947, teve uma infância complicada, tendo seu pai abandonado a família quando ainda tinha dois anos, e testemunhou um acidente com a morte de um amigo. Já escrevia desde criança, e vendia suas histórias aos amigos. Estudou inglês na Universidade do Maine, casou-se com Tabitha Spruce, em 1971, e lecionou sua formação em Hampden, enquanto isso escrevia para revistas masculinas. Teve problemas com álcool, e em 1999 sofreu um acidente sério, em que foi atropelado enquanto caminhava aos arredores de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter