Um Dia de Cada Vez – 1×02 Bobos and Mamitas

7 de janeiro de 2017 Por:

O segundo episódio de Um Dia de Cada Vez entregou um plot mais elaborado quanto à questão do machismo, um tema que, aparentemente, será muito explorado ao longo da temporada. Já preciso dizer que estou adorando a abordagem que a série dá para assuntos sérios como esse, nunca de uma forma didática e chata, mas de um jeito leve e engraçado, e que, espero eu, provoque reflexões acerca da temática.

Os problemas centrais do episódio giraram em torno de Elena e Penelope; enquanto a primeira enfrentava dificuldades em ser levada a sério na escola, a segunda passava pela mesma situação no trabalho, com o pateta do Scott. Toda a discussão que a mulher teve com o enfermeiro foi muito fiel ao que a gente é obrigada a escutar por aí, né? Além de o cara ter jogado a carta do “machismo reverso”, ainda tivemos a revelação de que o homem ganhava mais do que ela, o que serviu como estopim para o pedido de demissão de Penelope.

E o que dizer de Elena, que mal conheço e já me dá tanto orgulho? Foi legal ver ela dando uma chance à estratégia da avó, que, mesmo não dando certo, mostrou que às vezes é necessário tentar enxergar as coisas usando uma outra perspectiva, como foi o caso da quinceañera, quando a garota acabou cedendo após entender os motivos de sua mãe. Sempre bom ver que, apesar de todas as discussões, a família consegue se entender no final.

Cada episódio é uma verdadeira lição de como gerações diferentes podem aprender uma com a outra e não precisam, necessariamente, se atacar ou provar o tempo todo quem sabe mais, quem está certo ou errado; mesmo esse sendo o principal papel de Lydia muitas vezes, da forma mais cômica sempre. Até agora tenho gostado e me divertido bastante com a série!


E você, o que achou desse episódio de Um Dia de Cada Vez? Não deixe de me contar nos comentários e até a próxima review!

Estudante de humanas que já perdeu a conta de quantas séries fizeram e fazem parte de sua vida. Fã da internet, da literatura e do ócio; especialista em...

Ler perfil completo

São Paulo/SP

Série Favorita: Veronica Mars

Não assiste de jeito nenhum: The Vampire Diaries

  • Dééh Rodrigues

    Ah… a série me ganhou no momento que começou a colocar na pauta assuntos tão importantes de uma maneira tão simples e ácida.

Misfits e o uso de poderes em benefício estritamente próprio

2 semanas atráscomentarios

O tema dos super-heróis tem sido bastante explorado nos moldes atuais, existem por ai séries de bastante qualidade e que fazem a cabeça de um grande público onde o enfoque são os indivíduos/as que ganham poderes e os usam para salvar o mundo, só que muito antes disso tudo uma série britânica teve a audácia de retratar um cenário onde jovens deturbados e a margem da lei ganham poderes bizarros e os usam para os mais egoístas e cômicos interesses,  criando situações inimagináveis. Esta é Misfits, uma série britânia que foi ao ar entre os anos de 2009 e 2013, totalizando 5 temporadas de grande sucesso ao mesclar com eficiência, humor, comédia e ficção científica. A série narra as peripécias […]

Leia o post completo

Girlboss: guia do que NÃO fazer na vida adulta

2 semanas atráscomentarios

Teve gente que gostou de Girlboss, teve gente que achou a série fraca. Mas em uma coisa todo mundo certamente concorda: Sophia é um dos piores seres humanos que já vimos como protagonista de uma série. E com ela a gente pode aprender muito sobre o que não fazer para ser uma pessoa melhor. 5. Não roubar Em GirlBoss, uma das primeiras coisas que descobrimos sobre Sophia é que ela acha normal roubar. Não, ela não rouba porque precisa, porque quer ajudar alguém, ou se quer por uma questão de princípios contra uma sociedade capitalista. Sophia rouba porque se sente superior e simplesmente não respeita os outros, – muito menos suas propriedades. 4. Não ser egoísta com a melhor amiga […]

Leia o post completo

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter